PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

V.tal assume compromissos bilionários para garantir nova recuperação da Oi

Empresa nasceu da separação das redes de fibra ótica da tele e hoje é maior que a criadora

Foto do author Circe Bonatelli
Por Circe Bonatelli (Broadcast)
Atualização:
Valor total da recuperação judicial da Oi é de US$ 655 milhões (R$ 3,4 bilhões) Foto: Marcos Arcoverde / Estadão
Entrevista com

Parte importante da engenharia financeira para colocar de pé o plano de recuperação judicial da Oi passou pelas mãos da V.tal, que assumiu compromissos bilionários em três etapas fundamentais dentro do processo.

Este é um curioso caso da criatura que ficou maior que o criador. A V.tal nasceu da separação das redes de fibra ótica da própria Oi e hoje é controlada por fundos geridos pelo BTG Pactual, que têm o fundo de pensão canadense CPPIB entre os investidores. A Oi é uma acionista minoritária e a principal cliente das redes.

Já a V.tal é uma das maiores empresas de infraestrutura de telecomunicações do País, e agora se torna uma das maiores credores da Oi, além de uma potencial dona dos ativos da sua criadora.

Ajuda terá financiamento de R$ 780 milhões

A V.tal assumiu contribuir com US$ 150 milhões (cerca de R$ 780 milhões) do novo financiamento que será concedido à Oi dentro da recuperação, cujo valor total é de US$ 655 milhões (R$ 3,4 bilhões). Os recursos ajudarão a companhia a honrar seus compromissos até que saiam as vendas de ativos. Em contrapartida, a Oi ofereceu um pacote de garantias baseadas nos demais ativos do grupo.

O segundo movimento decisivo da V.tal foi dentro das negociações entre a Oi e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) referentes ao futuro da concessão da telefonia fixa, que teve mediação do Tribunal de Contas da União (TCU). Ficou acertado que a Oi vai mudar o regime de concessão para autorização mediante compromissos de investimentos de até R$ 10 bilhões. Cerca de dois terços desse valor serão arcados pela V.tal.

Publicidade

Em troca, a V.tal receberá uma parte do potencial crédito decorrente da arbitragem entre a Oi e a Anatel, que está sendo retomado. Nesse processo, a Oi pleiteia um ressarcimento pelos prejuízos causados pela concessão de telefonia fixa.

Aquisição da Oi Fibra

O terceiro dos compromissos veio à tona nesta semana. A V.tal concordou em fazer a aquisição da divisão de banda larga da Oi, chamada Oi Fibra, caso não apareçam outros compradores dispostos a aceitar o preço de R$ 7,3 bilhões proposto dentro do plano de recuperação.

Ou seja: fica como alternativa que dá a garantia aos credores de que o negócio terá uma solução. Nesse caso, a V.tal vai incorporar a Oi Fibra mediante entrega de ações, isto é, sem pagamento em dinheiro.


Este texto foi publicado no Broadcast no dia 22/04/24, às 19h09

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Publicidade

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.