Shopstreaming: varejo aposta em formato de 'televendas' adaptado para o online

Após fenômeno das lives musicais, varejistas como Americanas e C&A decidiram investir na fórmula de vendas ao vivo para atrair consumidor

PUBLICIDADE

Foto do author Carla Menezes
Por Carla Menezes
Atualização:

Nos primeiros meses de quarentena, foi quase impossível escapar do fenômeno das lives musicais. Com enorme audiência, artistas atraíram marcas que encheram a tela de inserções e QR-Codes promocionais. Agora, varejistas entram na onda das lives com seus próprios programas, unindo tecnologia e estratégias de marketing para atrair um público ávido por entretenimento. É o chamado shopstreaming, formato que ganhou força no mercado asiático nos últimos anos.

Trata-se também da volta “repaginada” de uma velha conhecida: a televenda. Canais como o Shoptime estão, há décadas, demonstrando produtos em tempo real na TV. A Americanas, que pertence ao mesmo grupo da Shoptime, diz aproveitar a expertise do canal e usá-lo como referência nos projetos na internet. 

Live da Americanas: 'Shoptime' com QR Code Foto: Americanas/ Divulgação

PUBLICIDADE

Para Alexandre Marchesi, coordenador da pós-graduação em e-commerce da ESPM, o shopstreaming precisa adotar ferramentas mais modernas para se estabelecer. “Na internet, você não fala tanto (quanto na TV), você mostra. É o navegar, o interagir. (O formato) vai crescer, mas o processo vai passar por alguns degraus de evolução.”

Mostrar, em vez de relatar, é o que a atração Americanas ao Vivo, lançada em junho em parceria estratégica com a influenciadora digital Camila Coutinho, tenta fazer. “Vimos que faz diferença para o cliente, ao fazer uma compra online, ter a real dimensão de como é o produto, para avaliá-lo melhor e adquiri-lo naquele momento, dentro do aplicativo”, explica Leonardo Rocha, chefe de marketing da plataforma digital Americanas.

A empresa diz que viu a busca pelos produtos divulgados nas lives de seu aplicativo se multiplicar por dez. Enquanto os apresentadores mostram itens de beleza, decoração e eletrônicos e divulgam promoções relâmpago, o cliente pode comprar os produtos ao clicar em botões mostrados na tela. “A marca vê que pode ser provedora do entretenimento e ter controle sobre como quer ser vista e o conteúdo que quer divulgar”, diz Paula Gertrudes, diretora da Cara de Conteúdo, empresa que faz o “match” entre empresas e artistas para a realização de campanhas. 

Fernanda Souza (C) apresenta atração no YouTube criada pela varejista C&A Foto: Luiza Ferraz/ C&A

A C&A estreou no shopstreaming, também conhecido por live commerce, na última quinta-feira, com a plataforma Tudo Combinado, que inclui a transmissão de um programa ao vivo no YouTube, apresentado pela atriz Fernanda Souza e as convidadas Fernanda Rodrigues e Giovanna Lancellotti. Enquanto elas participam de jogos relacionados ao universo dos produtos da C&A e conversam sobre bastidores da TV, os clientes têm acesso a códigos e promoções que levam para o site ou o aplicativo da varejista. 

“A gente queria que essa cliente que está assistindo ao programa encontrasse os produtos da forma mais fácil possível. Por isso, a página, além de ter o episódio, traz a seleção de produtos mostrados”, diz Mariana Moraes, gerente sênior de Marketing da C&A Brasil. Segundo ela, alguns modelos mostrados na transmissão esgotaram em menos de 24 horas. 

Publicidade

Na mesma linha, a Nespresso lança, na quinta-feira, uma “loja ao vivo”, que transmitirá receitas e dicas de harmonização, enquanto vendedores atendem clientes num chat. As lives serão feitas na unidade da marca na rua Oscar Freire, em São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.