Haddad diz que investidores podem se preparar para ciclo de crescimento mais sustentável após Copom

Segundo ministro, quanto mais rápido as políticas monetária e fiscal convergirem, ‘melhor será o resultado para a economia brasileira’

PUBLICIDADE

Por Sheyla Santos
Atualização:

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta quarta-feira, 13, em tom otimista, que a sinalização do Comitê de Política Monetária (Copom) de possíveis novos cortes na taxa de juros nas próximas reuniões prepara os investidores brasileiros para um ciclo de crescimento mais sustentável, com baixa inflação e baixo desemprego.

PUBLICIDADE

“Copom fez mais um corte, sinalizando que outros virão. Isso significa que os investidores brasileiros podem se preparar para um ciclo de crescimento mais sustentável”, afirmou.

“Isso é um bom indicativo para as famílias brasileiras. Nós vamos terminar o ano com indicadores animadores na Bolsa, no câmbio, no juro, juro futuro. Isso também vai ser muito bom”, disse o ministro.

Haddad ainda acrescentou que, quanto mais rápido as políticas monetária e fiscal convergirem, melhor será o resultado para a economia brasileira.

Prédio do Banco Central (BC) em Brasília; Copom decidiu cortar os juros 0,5 ponto percentual, levando a taxa para 11,75% ao ano Foto: André Dusek / Estadão

Na visão do chefe da Fazenda, o Congresso Nacional deu sinais nesta quarta de que está em fase final de negociações para apreciar a agenda econômica do governo ainda neste ano, incluindo a votação do orçamento para 2024.

Mais uma vez, o ministro disse esperar que a reforma tributária seja votada ainda nesta semana e promulgada até o final deste mês. “Estamos numa semana que vai exigir muito trabalho de nós todos. Ainda não terminou, mas eu diria que os indícios são de que nós vamos terminar bem”, destacou.

“Hoje nós estamos tratando de (MP) 1185 (sobre subvenções de ICMS), reforma tributária, bet, que passou no Senado. Já fizemos consulta sobre a desoneração. Acredito que amanhã (quinta, 14) teremos uma visão mais clara sobre as possibilidades”, acrescentou.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.