PUBLICIDADE

Publicidade

JBS suspende produção de carne bovina em 33 das 36 unidades que tem no Brasil

Decisão interrompe atividades por três dias e já havia sido comunicada às unidades do MT na quarta-feira, 22; empresa se diz empenhada em manter 125 mil empregados

Por José Roberto Gomes
Atualização:

A JBS anunciou a suspensão, por três dias, da produção de carne bovina em 33 das 36 unidades da empresa no Brasil. A suspensão é reflexo direto da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que acabou resultando na redução da demanda por carne, principalmente pelo bloqueio das exportações. 

Produtores do MT afirmam que decisão ainda não preocupa Foto: Reuters

PUBLICIDADE

Além da suspensão temporária, o grupo também informou que, na próxima semana, todas as suas unidades passarão a operar com uma redução de 35% na sua produção. “Essas medidas visam a ajustar a produção até que se tenha uma definição referente aos embargos impostos pelos países importadores da carne brasileira”, disse a empresa, em nota.

Maior produtora de carnes do mundo, a JBS tem uma capacidade de produção diária no Brasil estimada em cerca de 35 mil cabeças de gado por dia, o equivalente a mais de 40% da produção brasileira. Mas a maior parte da produção da companhia não está no Brasil, e sim em suas plantas no exterior. “No total, 72,7% das receitas da JBS são geradas em subsidiárias nos Estados Unidos, no Canadá, na Austrália e na Europa, que não teriam nenhuma exposição real às investigações feitas Brasil”, disse, em relatório, a agência Moody’s.

Segundo analistas que acompanham a empresa, a suspensão da produção anunciada não deve ter realmente grande reflexo financeiro, até porque a JBS tem capacidade de recuperar a produção dos dias parados em pouco tempo, e também pelo fato de o boi poder ser mantido nos pastos, sem prejuízo ou sem necessidade de abate, como acontece no caso dos frangos. Além disso, com a queda na demanda, a empresa acaba tendo maior poder para negociar os preços do boi com os pecuaristas, transferindo parte dos eventuais prejuízos.

Em Mato Grosso, Estado que concentra a maior parte do rebanho bovino do País, a suspensão foi recebida sem grande surpresa. “No momento não assusta. Se a JBS não tomasse essa decisão, o próprio pecuarista iria parar de vender. Estamos no período de águas (chuvas), o que nos ajuda a manter os animais nos pastos”, disse Luis Fernando Conte, produtor na região de Juara e vice-presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat). 

Impacto. Os reflexos da Operação Carne Fraca, que investiga corrupção envolvendo empresas e fiscais federais, têm sido fortes no campo econômico. As exportações brasileiras caíram de uma média de US$ 63 milhões para cerca de US$ 70 mil por dia, após os embargos impostos por vários países importadores. 

Em Colombo, no Paraná, os frigoríficos Master Carne e Souza Ramos, investigados na operação, fecharam as portas e demitiram 280 funcionários. A unidade da BRF em Toledo, também no Paraná, deu férias coletivas para seus 1,7 mil empregados. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, estimou que as perdas para o Brasil em exportações de carne este ano podem chegar a US$ 1,5 bilhão. / JOSÉ ROBERTO GOMES, TÂNIA RABELLO E JOSETTE GOULART

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.