Publicidade

Lula diz que bancos públicos poderão forçar queda nos juros e volta a criticar Campos Neto

Segundo petista, presidente do Banco Central foi ‘teimoso’ ao manter Selic alta e contribuiu para atraso do crescimento econômico do País

Foto do author Caio Spechoto
Por Caio Spechoto (Broadcast)
Atualização:

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira, 11, que é possível que bancos públicos baixem as taxas de juros de seus financiamentos para forçar os demais atores do mercado a reduzir também. A declaração foi dada em entrevista ao SBT.

PUBLICIDADE

Ele falou sobre o tema após voltar a criticar o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, devido à taxa de juros. A Selic atualmente está em 11,25% ao ano.

Lula disse não haver nada além da “teimosia” de Campos Neto para manter os juros nesse patamar. O presidente voltou a chamar o chefe da autoridade monetária de “esse cidadão”, e disse que ele está contribuindo para o atraso do crescimento econômico do país.

O presidente da República também disse ser muito cedo para falar sobre uma eventual reeleição. Seu mandato vai até o fim de 2026, ano da próxima eleição presidencial.

Lula considera que juros ainda estão altos demais Foto: WILTON JUNIOR / ESTADÃO

Preço da energia

Lula disse ainda, na entrevista, que seu governo precisa baixar as tarifas de energia para os consumidores comuns. Ele também falou ser preciso uma redução no preço dos alimentos.

O presidente afirmou ser a favor de uma regulamentação das redes sociais, o que precisaria ser discutido com a sociedade.

A entrevista, transmitida na noite desta segunda, foi gravada pela manhã.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.