Publicidade

Publicidade

Nubank reduz para 10 anos idade mínima para abertura de contas, após alcançar 85 milhões de clientes

Estudos internos apontam que a maioria dos clientes do banco tem filhos e deseja uma conta digital para eles; aplicativo agora tem controle parental e permite criação de contas a partir dos 10 anos

Foto do author Lucas Agrela
Por Lucas Agrela

Após atingir o patamar de 85 milhões de clientes, o Nubank reduziu a idade mínima para a abertura de contas de jovens, passando de 12 para 10 anos de idade. As contas são vinculadas às dos pais ou responsáveis e contam com uma versão básica do aplicativo, que permite fazer transações via Pix e cartão de débito, mas não permite, por exemplo, solicitações de empréstimos ou uso de cartões de crédito. Com a conta digital, os jovens podem receber a mesada e fazer pagamentos ou transferências de forma supervisionada pelos pais.

PUBLICIDADE

A aposta do Nubank nos menores de idade se dá em um momento em que a empresa procura formas de continuar a ampliar a base de clientes no País. Além disso, a empresa busca tirar os consumidores de alta renda dos bancos tradicionais, e, em pesquisas internas, identificou que 80% desse público tem filhos. Do total de clientes da empresa, 60% têm interesse em uma conta para crianças e adolescentes.

Hoje, o Nubank tem 1,2 milhão de clientes com idades entre 12 e 17 anos. Ainda há espaço para crescer e pouca competição vindo de bancos e fintechs, como a Yours Bank, investida pelo Banco do Brasil. A estimativa da empresa é que o número de clientes em potencial com menos de 18 anos seja entre 20 e 25 milhões de brasileiros.

Nubank aposta em menores de idade para continuar a ampliar base de clientes e conquistar público de alta renda Foto: Tiago Queiroz/Estadão - 8/6/2021

“É natural abrir novos eixos de crescimento para a companhia e a conta para menores de 18 anos é uma avenida de crescimento muito grande”, afirma Livia Chanes, líder de operações do Nubank no Brasil. “A relação com o dinheiro é familiar e temos de atender a todos os membros da família. Antes o dinheiro fazia esse papel. Hoje isso não existe. O pai não vai mais sacar o dinheiro no caixa eletrônico para dar ao filho.”

Nesta semana, o aplicativo do banco digital ganhou controle parental, que permite aos pais acompanhar a movimentação da conta dos filhos. “É uma supervisão na vida do filho e uma ferramenta para iniciar a conversa sobre dinheiro”, diz Livia.

Diferentemente do que fez em 2020 com a compra da corretora Easynvest (hoje chamada NuInvest), para entrar no mercado de investimentos, no caso da conta digital para menores de 18 anos, a solução foi criada internamente pela empresa, aproveitando estruturas tecnológicas da plataforma que oferece aos adultos. A conta tem recursos como cartão de débito, extrato, Pix, recarga de celular e caixinhas para organização financeira, que oferecem rendimento.

Para Márcia Dessen, planejadora financeira pela Planejar, a iniciativa do Nubank é positiva e pode estimular, desde cedo, que as pessoas criem o hábito de poupar e investir.

Publicidade

“Os bancos digitais se tornaram um caminho fácil para o brasileiro conseguir uma rentabilidade mais perceptível: o valor fica na conta e vai crescendo só de permanecer ali. Esse aumento, mesmo que seja de centavos, é acompanhado pelas pessoas através de um contador — e isso é explorado pelos aplicativos de forma lúdica, fácil de ser visualizada, e muitas vezes de forma a gerar engmento. Se esse for o caminho para que jovens e adultos aprendam a guardar dinheiro, é muito bajaem-vindo”, afirma.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.