Para Temer, reforma trabalhista marca 'momento histórico'

Em pronunciamento oficial divulgado nas redes sociais, presidente afirma que mudanças devem corrigir desigualdade salarial entre homens e mulheres

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O presidente Michel Temer afirmou, em pronunciamento para o 1º de maio, Dia do Trabalhador, que as reformas trabalhistas propostas pelo seu governo devem fomentar o diálogo entre empregados e empregadores. No breve discurso, divulgado pelo Twitter oficial da presidência, Temer classifica a 'modernização das leis trabalhistas' como um 'momento histórico'. 

"A nova lei garante os direitos não só para os empregos diretos, mas também para os temporários e terceirizados. Todos com carteira assinada. Portanto, concede direitos àqueles trabalhadores que antes não tinham. Empresários e trabalhadores poderão negociar acordos coletivos de maneira livre e soberana. O diálogo é a palavra de ordem", afirma.

Presidente Michel Temer faz discurso sobre Dia do Trabalhador Foto: Ed Ferreira/Estadão

O presidente ressalta que, após aprovadas, as alterações devem promover 'mais harmonia' nas relações de trabalho, o que acarretaria em menos ações trabalhistas na Justiça. "As empresas que pagarem salário diferente para homens e mulheres que exercem a mesma função em locais idênticos de trabalho, serão punidas. O salário há de ser o mesmo. O mesmo vale se houver discriminação salarial relacionada à etnia, nacionalidade ou idade", defendeu.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.