Publicidade

Queda de jato do Bradesco abre cratera de 12 metros de diâmetro

Bombeiros relataram que o impacto da explosão foi tão grande que havia destroços a 500 metros de distância do local do acidente

Por Daniel de Carvalho
Atualização:
Os executivos Marco Antonio Rossi (esq.), da Bradesco Seguros, eLúcio Flávio Conduro, da Bradesco Vida e Previdência Foto: Estadão-Reprodução

GUARDA-MOR (MG) - A queda e explosão do jato que transportava dirigentes do Bradesco abriu uma cratera de cinco metros de profundidade e 12 metros de diâmetro em uma propriedade rural do município de Guarda-Mor (MG), segundo o Corpo de Bombeiros de Catalão (GO), que atendeu a ocorrência na noite de terça-feira, 10.

PUBLICIDADE

Bombeiros relataram ao Estado que o impacto da explosão foi tão grande que havia destroços a 500 metros de distância.

De acordo com o batalhão, cinco viaturas e oito bombeiros saíram de Catalão às 19h50 para atender a ocorrência no município localizado a 110 quilômetros de distância. Quando os bombeiros chegaram, ainda havia fogo no local do acidente.

O jato Citation 7 que transportava o presidente da Bradesco Seguros, Marco Antonio Rossi, o presidente do Bradesco Vida e Previdência, Lúcio Flávio Conduro de Oliveira, e dois tripulantes caiu às 19h04 na Fazenda Junqueira, também conhecida como Fazenda Chapadão, no distrito de Cachorro Sentado. Funcionários da fazenda relataram um forte barulho no momento da explosão e os bombeiros acreditam que a aeronave pode ter explodido antes mesmo de colidir com o chão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.