Publicidade

Publicidade

Quem são os brasileiros que deixaram o ranking de bilionários da Forbes neste ano?

Comparado ao mesmo ranking divulgado em abril do ano passado, 14 brasileiros deixaram a lista e três novos nomes entraram

Foto do author Redação
Por Redação

A revista Forbes divulgou na terça-feira, 4, além de sua tradicional lista das pessoas mais ricas do mundo, a lista de brasileiros que têm patrimônio de mais de US$ 1 bilhão em 2023.

PUBLICIDADE

Comparado ao mesmo ranking divulgado em abril do ano passado, que tinha 62 integrantes, o ranking deste ano traz apenas 51 nomes. A lista tem três novos integrantes: Itamar Locks, Blairo Maggi e Hugo Ribeiro, ligados ao Grupo André Maggi, produtor de soja e outras commodities.

Outros 14 brasileiros deixaram o ranking. Veja abaixo, em ordem alfabética, quem são os brasileiros que apareciam no ranking de bilionários em 2022, mas não estão na lista deste ano.

Brasileiros que deixaram a lista de bilionários da Forbes em 2023

Cândido Pinheiro Koren de Lima, 77 anos

Oncologista, Pinheiro Koren de Lima é fundador e presidente do conselho de administração do Grupo Hapvida.

Candido Pinheiro Koren de Lima Junior, 52 anos

Candido Junior é o filho mais novo de Candido Pinheiro Koren de Lima. Ele é vice-presidente comercial e de relacionamento da Hapvida e atua como membro do conselho.

Publicidade

Dulce Pugliese de Godoy Bueno, 76 anos

Dulce Pugliese de Godoy Bueno é cofundadora da operadora de saúde Amil, juntamente com Edson de Godoy Bueno, seu ex-marido, falecido em fevereiro de 2017. A United Health Group comprou 90% da Amil em 2012. Dulce tem participação de 48% na Dasa, rede de laboratórios de medicina diagnóstica.

Ermírio Pereira de Moraes, 90 anos, e família

Filho de José Ermírio de Moraes, que fundou o Grupo Votorantim, um dos maiores conglomerados do Brasil, que atua em mais de 20 países nos setores de papel e celulose, agronegócio, energia, alumínio e cimento.

Guilherme Benchimol, 46 anos

Guilherme Benchimol é fundador e presidente do conselho de administração da XP Inc.

Guilherme Benchimol. Foto: Felipe Rau/Estadão

Henrique Dubugras, 27 anos

Publicidade

Henrique Dubugras é cofundador e co-CEO, com Pedro Franceschi, da Brex, fintech de cartão de crédito corporativo que tem sede em São Francisco, nos EUA.

Jorge Pinheiro Koren de Lima, 50 anos

Jorge Pinheiro é o filho mais velho de Candido Pinheiro Koren de Lima, fundador da Hapvida e é CEO da empresa.

José Luis Cutrale, falecido

José Luis Cutrale era dono da Sucocitrico Cutrale, processadora e distribuidora de suco de laranja concentrado, e foi presidente da Cutrale. Conhecido como o “Rei da Laranja”, também teve negócios nas áreas de grãos, logística, bananas, saladas, condimentos, refrigerantes, snacks, e nos setores imobiliário, financeiro e de saúde. Ele faleceu no dia 17 de agosto de 2022, de causas naturais, aos 75 anos.

Luiz Frias, 59 anos

Luiz Frias comanda o Grupo Folha, um dos maiores conglomerados de mídia do País, que inclui o jornal Folha de S. Paulo, adquirido na década de 1969 por seu falecido pai, Octávio Frias. Também é fundador do UOL e CEO da subsidiária PagSeguro Digital, empresa de pagamentos.

Publicidade

Luiza Helena Trajano, 71 anos

Luiza Helena Trajano é presidente do conselho da varejista Magazine Luiza, que tem quase 1.000 lojas no Brasil e um braço de comércio eletrônico em expansão.

Maria Helena Moraes Scripilliti, 92 anos, e família

Maria Helena Moraes Scripilliti é coproprietária do conglomerado Grupo Votorantim. Ela é herdeira do fundador José Ermírio de Moraes.

Pedro de Godoy Bueno, 32 anos

Pedro de Godoy Bueno é herdeiro da Amil e também CEO da empresa de diagnósticos Dasa desde os 24 anos. Ele se tornou o bilionário mais jovem do Brasil aos 29.

Pedro Franceschi, 26 anos

Publicidade

Pedro Franceschi é cofundador e co-CEO, com Henrique Dubugras, da Brex, fintech de cartão de crédito corporativo.

Rubens Menin Teixeira de Souza, 67 anos

Rubens Menin é fundador da MRV Engenharia. Também fundou o Banco Inter e lançou a CNN Brasil.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.