PUBLICIDADE

Publicidade

Quer ser CEO por um dia no Rappi, Chilli Beans ou Siemens Energy? Veja como participar

Projeto leva estudantes de universidades do Brasil para passarem um dia com líderes de grandes empresas

Foto do author Felipe Siqueira
Por Felipe Siqueira
Atualização:

Quer ser CEO por um dia e conhecer a rotina de líderes de grandes empresas como Rappi Brasil, Chilli Beans e Siemens Energy? Estudantes de todo o País, cursando o penúltimo ou último ano da faculdade, podem ter essa experiência rara até mesmo para profissionais seniores. Trata-se da oitava edição do programa promovido pela Odgers Berndtson.

PUBLICIDADE

As inscrições podem ser feitas até 20 de agosto por meio do site oficial do programa (neste link). O processo seletivo inclui análise do currículo, testes de perfil e entrevistas com sócios da Odgers Berndtson. Ao final do processo, 26 estudantes serão escolhidos para o evento, exatamente o número de CEOs confirmados no programa. Entre eles estão Tijana Jankovic, do Rappi Brasil, Caito Maia, da Chilli Beans, e André Clark, da Siemens Energy.

De acordo com o CEO da Odgers Berndtson no Brasil, Ademar Couto, o foco do projeto é descobrir novos talentos, focando em jovens com potencial e soft skills de liderança. “O intuito do programa é encontrar líderes”, afirma o executivo. Ele também complementa que, geralmente, as pessoas selecionadas acabam, posteriormente, sendo escolhidas para estagiar em uma das companhias participantes.

Não existe um roteiro obrigatório a ser seguido pelas empresas. Quem prepara o dia de imersão na rotina de alto escalão é o próprio CEO, sendo que eventuais custos com alimentação e deslocamento, por exemplo, serão bancados pela companhia.

Segundo Couto, da Odgers, já houve de tudo um pouco nas últimas edições. “Já teve empresário que levou o estudante para acompanhar a rotina inteira do dia, inclusive com academia e café da manhã com a família. Além disso, costumam mostrar o operacional, como instalações de fábricas. E isso é ótimo para a empresa, porque é uma promoção também: o aluno conta como foi a experiência para pessoas próximas, família e amigos.”

A CEO do Rappi Brasil, Tijana Jankovic, é uma das participantes do CEO por um dia deste ano e conta que a expectativa em receber o estudante está alta. Nascida na Sérvia, ela tem 35 anos e já está há nove no Brasil. A ideia dela é desmistificar alguns estereótipos sobre o universo de executivos. “Às vezes, parece que é uma coisa muito glamourosa, com reuniões, jantares luxuosos, viagens de jatinho, mas o lado real é que tem muito trabalho, intensidade e adrenalina”, diz.

A CEO do Rappi Brasil, Tijana Jancovic Foto: Vagner Medeiros/Divulgação

Ela conclui que pretende mostrar também que, independentemente da origem do estudante, é possível, sim, alcançar o alto escalão. “A pessoa pode pretender uma posição executiva desde que trabalhe muito esse lado desde o início da carreira. Como no meu caso: mulher, jovem e estrangeira.”

Publicidade

Tijana não pretende alterar a agenda exatamente para poder mostrar rotina efetivamente como ela é. “A pessoa vai ver a intensidade e a falta de previsibilidade do dia que a gente tem.” Sua agenda é muito diferente, dependendo do dia. Se for numa segunda, o estudante vai participar de reuniões com clientes e participantes de comunidades de negócios. Se for na quinta, já é um dia mais estratégico, separado para pensar em ideias e resolver problemas.

No caso do CEO da Siemens Energy, André Clark, normalmente a agenda desse dia é formada por pautas estratégicas e de cunho mais operacional para trazer ao estudante uma mescla dos temas que permeiam suas tarefas como líder. Isso inclui desde a participação em comitês executivos até o contato com as operações e visitas às unidades da empresa. “Essa é a segunda vez que participo do programa e me agrada muito a proposta de valor por trás dessa iniciativa. Acredito que projetos como esse, que possibilitam uma interação com estudantes de diferentes áreas, não beneficiam somente quem se inscreve, mas são igualmente profícuas para mim como executivo”, diz Clark.

Segundo ele, o ganho dessa convivência rápida, mas intensa, é importante pois permite ao executivo ter uma diversidade de olhares por meio de perspectivas totalmente distintas. “É muito relevante ver meu cotidiano aos olhos de um(a) jovem. Contudo, igualmente importante é observar como as diferenças de linguagem e comportamento geram visões úteis para ambos.” COLABOROU RENÉE PEREIRA

Empresas e CEOs participantes

Acon - Rodrigo Galvão

Armac - Renato Aragão

Arteris - Sergio Garcia

Balluff - Adriana Belmiro da Silva

Publicidade

BR Partners - Ricardo Lacerda

Bridgestone - Vicente Marino

CBV - Adriana Behar

Chiesi - Rodrigo Lorca

Chilli Beans - Caito Maia

Docol - Guilherme Fessel Bertani

GDL - Nivaldo Tuba

Publicidade

Kimberly Clark - Andrea Rolim

Lenovo - Ricardo Bloj

Leo Pharma - Haig Yeghiaian

Lockton Corretora de seguros - Jose Otávio Sampaio

Monte Bravo - Pier Mattei

OdontoPrev - Rodrigo Bacellar Wuerkert

Rally dos Sertões - Joaquim Monteiro de Carvalho

Publicidade

Rappi - Tijana Jankovic

Recordati - Paulo Pinton

Santos Brasil - Antonio Carlos Duarte Sepulveda

Siemens Energy - André Clark

Telehelp - Bruno Mouco

TemBici - Tomas Martins

Tul - Bruno Raposo

Publicidade

WIZ - Heverton Peixoto

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.