Foto do(a) blog

Blog dos Colégios

Opinião|Cidadania Digital: um desafio para famílias e escolas

PUBLICIDADE

Atualização:

Por Adriana Marqueto e Luciana Pellegrino*

Cidadania refere-se à capacidade de participar ativamente da vida em sociedade, exercer direitos, cumprir deveres civis, políticos e sociais e, acima de tudo, contribuir para o bem comum e coletivo. A cidadania digital é um conceito que representa o uso consciente, responsável e seguro da tecnologia. 

 

PUBLICIDADE

Pais e educadores continuam diante da desafiadora tarefa de auxiliar crianças e adolescentes na conscientização sobre o uso responsável das telas. As novas gerações dedicam um tempo significativo e crescente a atividades digitais recreativas, o que pode trazer prejuízos para a saúde, para o desenvolvimento cognitivo, o convívio familiar e social e para o desempenho escolar.

No Colégio Pentágono, o Núcleo de Orientação Educacional (NOE) organizou a Semana da Cidadania Digital destacando o tema e explorando, com os alunos, questões relacionadas à segurança de dados, privacidade online, navegação segura, cyberbullying, fake news, plágio, inteligência artificial, entre outros. Nas aulas de Projeto de Vida e nos diversos componentes curriculares, os conteúdos foram apresentados com o objetivo de informar e conscientizar os alunos sobre o papel que temos como cidadãos digitais. Além disso, as famílias do 2º ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais à 3ª série do Ensino Médio tiveram a oportunidade de aprofundar o conhecimento sobre o tema em palestra ministrada por uma psicóloga com atuação em Dependências Tecnológicas. 

Por fim, compreendemos que a temática exige atualização e acompanhamento constantes. Para isso destacamos a importância de:

Publicidade

  • Evitar disponibilizar equipamentos eletrônicos no quarto;  
  • Avaliar o momento de presentear os filhos com telas;
  • Estabelecer regras de utilização claras (nada de tela antes da escola, nem à noite antes de ir dormir ou durante as lições de casa e refeições, não levar o celular para a escola, etc); 
  • Explicar e justificar as regras, inclusive para as crianças pequenas. Usar linguagem adequada para a idade do filho de forma a passar o recado de que as telas atrapalham o desenvolvimento do cérebro, prejudicam a saúde, interferem no sono, favorecem a obesidade, etc.
  • Orientar na criação de senhas seguras e a importância do não compartilhamento;
  • Implementar mecanismos de bloqueio nos dispositivos para conteúdos inapropriados;
  • Acompanhar e limitar a quantidade de horas de acesso aos meios digitais com base nas recomendações dos especialistas e educadores;
  • Se interessar pelo o que os filhos acessam, acessar junto, conversar sobre, orientar constantemente.

 * Este artigo foi escrito em conjunto pelas Orientadoras Educacionais da Educação Infantil ao Ensino Médio do Colégio Pentágono  

Opinião por Colégio Pentágono
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.