PUBLICIDADE

Conselho de secretários de Educação publica nota contra declarações de Weintraub

Ministro da Educação se manifestou a favor do Enem em novembro; entidade alega que é necessário um ajuste no cronograma em benefício dos estudantes

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED) publicou nota contra as declarações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de manter o Enem em novembro, apesar da crise do novo coronavírus. A entidade alega que é necessário um ajuste no cronograma em benefício dos estudantes, especialmente os da rede pública que estão sem aulas presenciais e com dificuldade para se inscrever e pedir isenção no exame. "Entendemos também ser fundamental o adiamento das datas das provas do ENEM, para que não sejam ampliadas ainda mais as desigualdades educacionais em nosso país", diz a nota.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub Foto: Dida Sampaio/Estadão

Depois de se posicionar no sábado, 20, a favor da volta às aulas em meio à crise do coronavírus, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou no domingo no Twitter que os governadores fizeram "uma quarentena generalizada e precipitada". A postagem inclui o vídeo de um homem não identificado dançando. " Governadores devem planejar o retorno das aulas, tirar as nádegas da cadeira e REBOLAR atrás do prejuízo!", escreveu Weintraub.

O ministro ainda afirmou que, com o cancelamento do Enem, "ganham UNE e monopolistas". "Eles tentaram impedir o ENEM quando invadiram as escolas onde seriam feitas as provas. Tentaram novamente no ano passado. Estão tentando agora. Não conseguirão! VAI TER ENEM!", afirmou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.