PUBLICIDADE

Não passei no vestibular. E agora? Agora, o sonho continua!

Por Jaqueline Marson
Atualização:

Com a divulgação dos resultados das principais universidades do país e, também, da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e dos aprovados no Sistema de Seleção Unificada (SiSU), muitos estudantes já sabem que precisarão se preparar para uma jornada intensa de estudos por mais uma temporada.

PUBLICIDADE

O diretor do curso pré-vestibular, Wander Azanha, para começar, aconselha a não desistir. "Não ver o nome na lista de aprovados é desanimador, mas o aluno não deve abrir mão do sonho e do objetivo que ele traçou para a vida, desistir realmente não deve fazer parte do dicionário de um futuro universitário."

Ele ainda lembra que lidar com a concorrência também não é uma das tarefas mais fáceis desta empreitada. "No geral, cursos como Medicina e algumas áreas de Engenharia costumam ter um grande número de estudantes interessados. Além desses, podemos destacar: na Fuvest, Psicologia e Relações Internacionais; na Unicamp, Ciências Biológicas e Ciência da Computação; já na Unesp, Direito e Medicina Veterinária. Esses cursos fazem parte também da lista dos cursos mais concorridos."

Curso pré-vestibular

O diretor explica que estudar no cursinho é completamente diferente da 3ª série do Ensino Médio. "É outra vida, é realmente outra pegada. No pré-vestibular, teoricamente, as aulas funcionam de uma maneira diferente, já que são mais dinâmicas e rápidas - os alunos têm que entender, em menos de um ano, o que aprenderam em três do Ensino Médio. Aí vem o baque, por isso, ele precisa ter o apoio dos familiares. Todos estarem nessa mesma sintonia faz muita diferença lá na frente."

Publicidade

O curso pré-vestibular tem diversas funções fundamentais para o aluno que quer e sonha em passar numa universidade pública, principalmente, nos cursos mais concorridos:

  • Lapidar todo o conteúdo que foi estudado durante o Ensino Médio;
  • Tornar-se ainda melhor nas disciplinas que sempre tirou boas notas;
  • Aprender, de vez, as disciplinas que tem mais dificuldade;
  • Realizar simulados de todas as principais provas;
  • Tirar dúvidas nos plantões no contraturno das aulas.

E, principalmente, segundo o diretor, focar no sonho de passar na universidade que sempre quis. "Sonho deve ser a palavra-chave para motivar cada aluno em todos os dias de estudo. É importante que ele saiba o motivo pelo qual ele está se dedicando tanto!"

Wander ressalta que cada aluno tem sua "fórmula mágica" para estudar e que não há uma receita de bolo para todo mundo. "É importante ter discernimento para descobrir o que funciona e realizar adaptações, mudar rotas e estratégias, se necessário" e acrescenta que estudar por mais tempo pode não fazer a diferença, será preciso estudar de forma mais eficiente. "Lembre-se do que trouxe você para esse caminho e do 'pote de ouro' que encontrará no futuro!"

Aula da professora Aline, de Biologia, em uma sala de pré-vestibular  

Turma e Projeto Medicina

Publicidade

Maria Clara Baroni, ex-aluna do Ensino Médio e agora parte da Turma Medicina e Projeto Medicina do curso pré-vestibular, quer ser médica e esse sonho começou porque, desde criança, ia ao hospital ver os avós e cresceu vendo muitos médicos ajudando e outros que não davam a mínima para os pacientes e receitavam qualquer remédio. "A minha meta é dar uma qualidade de vida melhor para as pessoas e ajudá-las da forma mais adequada e, também, quero me inspirar nos bons médicos que sempre vi." Sobre 2024, Maria faz planos. "Espero que seja um ano bom e produtivo, um momento de preparação e que eu consiga me organizar para acertar os conteúdos que, por algum motivo, não estavam tinindo no ano passado. O Projeto Medicina vai me ajudar nesse propósito."

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

O diretor explica que o Projeto Medicina se caracteriza pela junção de alunos interessados com o conhecimento da equipe pedagógica do curso pré-vestibular, visando a aprovação desses alunos nas principais provas. Esses alunos estudam na Turma Medicina, salas que a carga horária é diferenciada para alunos que queiram passar em Medicina ou em cursos mais concorridos.

"Montamos um grupo de aproximadamente 20 alunos que já se destacaram no Ensino Médio e em vestibulares mais recentes e temos, com esse grupo, um relação mais estreita e direta com reuniões semanais e projeções de notas a serem tiradas nos simulados, para que eles cresçam intelectualmente e consigam concorrer nos vestibulares mais competitivos" e acrescenta que as conversas individuais semanais, para que rotas e mudanças sejam feitas no trajeto, colaboram para que os acertos sejam aumentados e conquistados a cada simulado.

Histórias para contar...

O curso pré-vestibular é repleto de pessoas em busca do mesmo objetivo e com vidas, histórias e mundos completamente diferentes. "Ver cada mudança de chave me lembra quando eu prestei vestibular: estudar numa universidade pública mudou minha história, carreira e trajetórias pessoal e profissional. Minha vida seria completamente outra e bem, bem pior. Se não fosse o esforço lá atrás, tudo seria diferente hoje e é exatamente isso que passo para os alunos do cursinho", explica Wander.

Publicidade

A Festa dos Aprovados, evento organizado anualmente pelo Curso e Colégio Oficina do Estudante, acontece para parabenizar cada um pelo objetivo alcançado. "Não há palavras para descrever toda a emoção ao ver essas vidas serem mudadas com nossas aulas, com ajuda do cursinho e do nosso qualificado corpo docente. Comemorar a aprovação do vestibular e a passagem para dentro de uma universidade realmente não tem preço."

Wander relembra um fato muito marcante, de quando atuava como professor em uma escola do interior de São Paulo, e faz uma analogia. "Eu tive um aluno chamado César e dei aula pra ele e pra irmã, a Fernanda. O César quase não assistia aula e onde ele estava? Treinando na piscina gelada às seis da manhã. As pessoas de fora só veem a medalha de ouro na Olimpíada, mas não o treinamento dele de todo dia. Então, é isso, se você olhar para a medalha, conseguirá até suportar o gelo da piscina. O que eu digo para os alunos - e para minha filha - é sonhe, sonhe sempre e lute pela vaga, porque só assim a sua vida será diferente, só assim você vai conseguir mudar a chave da sua vida."

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.