PUBLICIDADE

‘Pequeno gênio’ aprovado na universidade aos 11 anos viraliza ao falar inglês e conta como aprendeu

Luan Gama, que participou de quadro do ‘Domingão do Huck’ e foi aprovado para cursar Matemática em universidade, começou a aprender o idioma aos 3 anos

Por Fabio Grellet
Atualização:

Um vídeo publicado na internet por Luan Gama, garoto de 11 anos que participou do quadro “Pequenos Gênios”, do Domingão do Huck, viralizou nos últimos dias e rendeu elogios ao menino. A criança obteve na Justiça o direito de cursar Matemática na Universidade do Estado do Amazonas (UEA),

PUBLICIDADE

Na gravação, Luan passeia por Ponta Negra, bairro de Manaus, e, falando em inglês, apresenta a decoração de Natal. “Primeiro vlog, mostrando a Ponta Negra e treinando o meu inglês (para quando eu for para Harvard College)”, escreveu na legenda do vídeo, em referência à prestigiada universidade americana. “Esperando as correções da @teacherclareana”, completou, referindo-se à professora de inglês.

Um dos perfis que comentaram foi da plataforma de ensino de idiomas Duolingo: “Até emocionei aqui”, escreveu.

Luan Gama, 11 anos: desde os 3 lendo e escrevendo em português e inglês Foto: UEA/Divulgação

Na madrugada desta quinta-feira, 11, Luan respondeu à pergunta de um internauta que queria saber como ele aprendeu inglês. Luan, que aprendeu a ler e escrever em Português aos 3 anos, contou que nessa idade também começou a aprender inglês, vendo vídeos na internet.

Naquela época, contou, ele “passava o dia todo assistindo (a um vídeo no Youtube), eram os números de 1 a 100 em inglês”. Luan também recomendou um jogo na internet que pode ser jogado em inglês, espanhol ou português.

Garoto já passou na faculdade

A fluência em inglês é só uma das habilidades de Luan raras em pessoas com a idade de Luan. O garoto também acumula conhecimentos em Matemática, Raciocínio Lógico, Português e Geografia.

Segundo sua família, o estudante sabe ainda identificar as bandeiras e a localização de todos os países; domina cálculos matemáticos, como raiz quadrada e potências; além de soletrar palavras em diferentes níveis de dificuldade, inclusive de trás para frente.

Publicidade

Com todo esse conhecimento, Luan conseguiu ser aprovado na Universidade do Estado do Amazonas, e sua família recorreu à Justiça para garantir o direito à vaga. Na sentença, o juiz reconhece a superdotação da criança, que no entanto terá de se submeter a provas de aceleração, aplicadas pela Secretaria de Educação do Amazonas.

Caso seja aprovado, ele receberá os diplomas de formação nos ensinos fundamental e médio, necessários para a matrícula na universidade. Caso seja reprovado, seguirá cursando o 6º ano do ensino fundamental em um colégio particular, que lhe concedeu uma bolsa de estudos.

O reitor da UEA, André Zogahib, diz que a instituição está preparada para receber Luan. Segundo o dirigente, partiu da própria universidade a orientação para que a família buscasse assegurar a vaga pela Justiça.

Esse salto de etapas é previsto pela lei para casos de superdotação e altas habilidades, mas especialistas ponderam sobre os riscos de um salto tão abrupto e os desafios de adaptação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.