PUBLICIDADE

Por que universidade onde Einstein fez doutorado decidiu abandonar ranking global?

Instituição de ensino, que atende 26 mil alunos em sete faculdades, critica critérios quantitativos usados na seleção e defende qualidade

Por Fabio Grellet
Atualização:

A Universidade de Zurique (UZH), na Suíça, anunciou que não vai mais fornecer dados para o ranking anual de universidades produzido pela revista britânica Times Higher Education (THE), uma das principais referência de avaliação de ensino superior.

Instituição de ensino onde o físico Alberto Einstein (1879-1955) fez seu doutorado e uma das mais importantes instituições de ensino da Suíça, a UZH considera que as classificações usam critérios quantitativos e afirma que a qualidade é mais importante do que a quantidade.

Entrada do edifício principal da Universidade de Zurique: instituição anunciou que não vai mais fornecer dados para ranking das melhores escolas Foto: Frank Brüderli/Universidade de Zurique

PUBLICIDADE

No ranking mais recente da THE, referente a 2024, a universidade figura como a 80ª melhor do mundo. A Universidade de São Paulo (USP), melhor colocada da lista, ficou na faixa 200-250 dessa mesma classificação. O ranking da Times Higher começou a ser feito em 2004.

Em nota divulgada em março, a universidade diz que “os benefícios e a influência das classificações no mundo acadêmico têm sido objeto de debate controverso há muito tempo”. E segue: “Centram-se geralmente em resultados mensuráveis, o que pode ter consequências indesejadas, por exemplo, levando universidades a se concentrarem no aumento de publicações em vez de melhorarem a qualidade”.

Segundo a universidade, “embora classificações pretendam medir de forma abrangente as diversas realizações das universidades no ensino e na pesquisa, não podem fazer isso, pois reduzem os indicadores a uma pontuação e concentram-se em critérios quantitativos. A universidade está convencida de que a qualidade científica deve ser o fator decisivo em todas as decisões políticas de investigação”, conclui.

UZH foi 1ª universidade na Europa fundada por um governo democrático

Fundada em 1833, a UZH foi a primeira universidade na Europa fundada por um governo democrático, e não por um monarca ou pela igreja. Atualmente é a maior universidade da Suíça, com 26 mil estudantes e sete faculdades (Direito; Medicina; Medicina Veterinária; Letras e Ciências Sociais; Ciência; Negócios, Economia e Informática; e Teologia e Estudo da Religião), que oferecem mais de 100 programas de graduação e pós-graduação.

A UZH integra a Liga das Universidades Europeias de Investigação e figura entre as instituições de investigação mais prestigiadas da Europa, com reputação especialmente forte nas áreas da Medicina, Imunologia, Biologia, Genética, Neurociência e Economia. Embora suas graduações sejam ministradas principalmente em alemão padrão suíço, os cursos de mestrado são todos ministrados em inglês.

Publicidade

A instituição tem longa tradição de políticas progressistas. Foi pioneira na defesa dos direitos das mulheres na educação, por exemplo, e a primeira universidade de língua alemã no mundo a conceder o título de doutora a uma estudante.

Também passaram pela universidade 12 ganhadores do Nobel, incluindo Albert Einstein, que fez doutorado na universidade. Orientado pelo professor de Física Experimental Alfred Kleiner, ele defendeu a tese Uma Nova Determinação das Dimensões Moleculares, sobre as forças moleculares em gases.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.