Você compraria um quadro ‘amaldiçoado’? Conheça história de pintura viral vendida por R$ 9,8 mil

Objeto já havia sido vendido e devolvido três vezes no Reino Unido; antigas donas alegaram terem sido perseguidas por ‘vulto preto’ e pelos olhos da menina que ilustra a pintura

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

Um quadro supostamente “amaldiçoado” chamou a atenção dos britânicos e foi vendido por £ 1,6 mil – cerca de R$ 9,8 mil, conforme a cotação atual – nesta terça-feira, 12. A pintura, que traz uma menina com cabelos curtos e uma blusa rosa, havia viralizado nas redes sociais. Ao todo, o objeto havia sido devolvido três vezes.

PUBLICIDADE

Segundo informações do Sky News, o quadro foi vendido novamente por meio de um leilão virtual. O preço inicial havia sido avaliado em £ 450, ou R$ 2,7 mil, mas mais que triplicou.

A pintura ficou famosa nas redes após uma foto com o aviso das constantes devoluções viralizar em agosto. “Ela voltou. Foi vendida duas vezes e retornou duas vezes. Você é corajoso o suficiente?”, dizia um aviso em uma loja de caridade, onde o objeto era vendido. À época, ele custava apenas £ 20 – cerca de R$ 122.

O dono da loja, Steve, contou ao The Sun que as duas primeiras donas devolveram a pintura ao local sem exigirem um retorno do valor pago. Dentre os relatos, Steve disse ter ouvido que a menina que ilustra a tela tem “olhos que te seguem pelo quarto”.

A primeira proprietária ficou apenas dois dias com o quadro. “Ela me disse: ‘Preciso me livrar desse quadro’. E que ela [a menina] tinha uma ‘aura’”, relatou o dono, que resolveu colocar o aviso de “possivelmente amaldiçoada” depois da devolução.

A segunda compradora também retornou imediatamente ao local, aparentando, segundo Steve, estar “trêmula e angustiada” e dizendo que “nunca mais queria ver aquela maldita coisa de novo”. Foi então que a loja colocou o aviso viral.

A responsável por arrebatar o objeto depois da repercussão foi Zoe Elliott-Brown. Conforme o Sky News, Zoe decidiu devolver o quadro depois de alegar ter sido perseguida por um “vulto preto”. Os jornais não informaram quem são os novos donos da pintura “misteriosa”.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.