PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Beleza para homens, sem complicação

Opinião|72% dos homens brasileiros declaram cuidar da própria beleza

Estudo mostra dados importantes sobre o mercado de beleza masculina no Brasil e a tendência do comportamento dos homens em relação ao setor de beleza e cosméticos para os próximos anos

PUBLICIDADE

Um dos tabus que o estudo mostra que está sendo superado é o fato de que cuidar da beleza e de usar cosméticos não afeta a masculinidade. ( Foto: Unsplash)

E aí, beleza?

PUBLICIDADE

O mercado brasileiro de beleza e cosméticos e? um dos maiores do mundo. Ocupamos a 2ª posição entre os países que mais lançam produtos e o setor corresponde por 4% do PIB nacional, conquistando a cada ano mais atenção do público masculino brasileiro.

É o que mostra a segunda edição do estudo Cosmentology®, realizado pelo Grupo Croma, ao qual 72% dos homens brasileiros declaram cuidar da beleza e que esse hábito não é apenas "coisa de mulher". Número consideravelmente maior que a primeira edição do estudo, realizada em 2018, que apontou que 34% dos homens brasileiros se preocupavam com sua própria vaidade.

Edmar Bulla, fundador do Grupo Croma e idealizador do estudo, afirma que o interesse do público masculino por itens e por autocuidado pode significar um avanço para todo o mercado: "O cenário cria oportunidades para toda a economia e estimula o empreendedorismo no Brasil. Os homens cada vez mais têm se preocupado com a sua própria estética. Isso revela maior aceitação deste público com questões que antes eram consideradas tabus ou pertencentes apenas ao universo feminino. Fato importante que revela uma transformação de padrões comportamentais e na relação de homens com marcas do segmento".

Edmar Bulla, fundador do Grupo Croma e idealizador do estudo. ( Foto: Divulgação)

Um dos tabus que o estudo mostra que está sendo superado é o fato de que cuidar da beleza e de usar cosméticos não afeta a masculinidade. 71% dos entrevistados afirmam que "podem chamar do que for, mas cuidar da beleza não me deixa menos homem" e 68% declaram que "sou homem e não tenho vergonha disso". Diversas discussões vieram à tona em relação a vaidade masculina, como procedimentos estéticos, harmonizações e autocuidado que ganhou as redes sociais como "skincare" e depilação.

Publicidade

Porém, o estudo também mostra que o número de homens que "se cuidam e não saem por aí falando" aumentou. Em 2018, 38% dos entrevistados afirmaram não sentir a necessidade de sair falando dos tratamentos realizados. Atualmente, a porcentagem alcançou a casa dos 53%. Para o mercado já existente e novos empreendedores no segmento, os investimentos por parte dos homens em produtos e serviços cresceu; 36% dos respondentes declaram que investem o que for preciso para ficar mais bonito, enquanto em 2018, esse número foi de apenas 15%.

Quais as marcas e produtos preferidos dos homens?

O Boticário e Natura são as referências em cuidados para a beleza masculina e as marcas mais lembradas pelos brasileiros. Seguidos de Avon e Nívea que surgem como alternativas às marcas líderes. Homens entre 40 e 49 anos são os que mais lembram das marcas líderes, já entre os mais jovens, Avon parece ter um alcance maior, e Nívea se destaca entre os mais velhos.

Entre os produtos mais procurados pelos homens estão perfumes e colônias, 86% dos entrevistados pretendem usá-los nos próximos 12 meses, na sequência o autocuidado com cabelos aparece com 84% da preocupação do público masculino, o interesse por barbearias também cresceu, 78% pretendem ir a barbearias no mesmo período e 76% usar produtos específicos para barba.

O autocuidado com o corpo foi um dos hábitos que mais cresceu desde 2018. De acordo com o estudo, há 6 anos, 56% tinham a intenção de manter este hábito nos próximos 6 meses e, agora, 75% dos homens afirmam isso. Entre homossexuais, esta intenção é ainda maior e atinge 82%. Dois terços não têm vergonha de afirmar que são clientes de salões onde cuidam das mãos, pés e cabelos, algo que era admitido por pouco mais da metade dos respondentes. 55% dos homens pretendem usar manicures, pedicures ou podólogas nos próximos 12 meses.

Publicidade

Quais serão as tendências para os próximos anos?

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

Com o resultado do estudo Cosmentology, novas tendências foram apontadas e são destaques entre os homens. A masculinidade não normativa é o principal, aumentando o interesse e adoção de práticas anteriormente consideradas mais femininas, como o cuidado com o cabelo e com a pele, além de maquiagem. Constata-se que é um mercado lucrativo, com maiores ofertas e variedades de produtos, incluindo marcas independentes.

O poder dos influenciadores masculinos nas redes sociais normaliza e incentiva cuidados com a beleza, incluindo rotinas de autocuidado, dicas de maquiagem e recomendação de produtos. Há o aumento de barbearias, lojas e serviços especializados para o público masculino ofertando modernidade e tratamentos híbridos para cabelo e pele. Os homens estão cada vez mais confortáveis em cuidar da aparência como parte da apresentação pessoal e o assunto é cada vez mais frequente - seja em um grupo de amigos, entre a família ou na internet - incluindo exemplos de homens que desafiam normas tradicionais de gênero.

"O estudo reflete o maior interesse dos homens pelos cuidados da estética corporal e do rosto. Homens se sentem mais confortáveis em cuidar da aparência para se apresentarem melhor no ambiente corporativo ou casual. É importante lembrar que este é um assunto que domina cada vez mais o debate acerca dos cuidados estéticos, incluindo exemplos de homens que rompem barreiras impostas socialmente que estão comumente vinculadas às normas tradicionais de gênero. A relação desses indivíduos com essas marcas revela maior interação entre o mercado e o público masculino", conclui Bulla.

Publicidade

Opinião por Glauco Junqueira
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.