PUBLICIDADE

Ana Hickmann contrata perito criminal que já trabalhou para defesa de Lula na Lava Jato

O perito Claudio Wagner falou com o ‘Estadão’ sobre seu trabalho para entender o que foi feito com as contas das empresas sob gestão de Alexandre Correa: ‘Muita coisa não foi contabilizada’. Outro lado: advogado do empresário nega acusações

Foto do author Gabriela Piva
Por Gabriela Piva
Atualização:

O perito criminal Claudio Wagner, contratado por Ana Hickmann para sua defesa no caso contra o ex-marido Alexandre Correa, afirmou por telefone ao Estadão que encontrou “muita coisa não contabilizada” sob a gestão administrativa de Correa nas empresas das quais o ex-casal é sócio. Com dívidas que somam ao menos R$ 5 milhões, a apresentadora revelou ao Domingo Espetacular, da Record TV, ter encontrado “assinaturas que não eram suas”.

PUBLICIDADE

Procurado pela reportagem, Ênio Martins Murad, advogado de Alexandre Correa, negou as acusações de que o empresário não teria contabilizado a renda das empresas do ex-casal. “Não existe nenhuma falha na contabilidade da empresa. É tudo fake news, não foi nada comprovado. São meras alegações”, disse ele ao Estadão.

Claudio Wagner é um perito criminal e auditor independente conhecido por trabalhar na defesa de Lula. Na época, ele foi contratado para provar que o atual presidente do País não desviou dinheiro de sítio de Atibaia, instituto e outros. Ele também atuou na verificação da veracidade das mensagens trocadas entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol sobre a Lava Jato.

Perito criminal investiga Alexandre Correa após apresentadora afirmar que encontrou 'cheques com assinaturas que não eram suas' Foto: Instagram/@ahickmann

O Estadão entrou em contato com Claudio Wagner para comentar o andamento de seu trabalho para Ana Hickmann. O perito afirmou que está verificando para onde foi o dinheiro e revisando todas as operações realizadas nas empresas.

“Estamos revisando todas as operações que foram feitas nas empresas, para onde foi o dinheiro. O que antecipo, muito superficialmente, é que tem muita coisa que não foi contabilizada — e essas coisas foram feitas sob o comando dele [Alexandre Correa]. Agora estamos consultando fontes externas para confirmação e acho que, em duas semanas, a gente conclui [a investigação]”, diz Claudio Wagner em conversa por telefone.

O perito também disse ainda não ter descoberto a quantia exata que não foi declarada, mas afirmou ser “um valor muito elevado percentualmente”. Ao explicar que a investigação envolve as consequências da não contabilização, Wagner não detalhou quando Correa deixou de atestar as rendas das empresas que divide sociedade com Ana.

“Quando você tem um documento não contabilizado, é evidente que esse documento originou outras coisas fora da contabilidade. Então, demora um pouco [para concluir o processo de verificação] porque a gente rastreia 100%, desde o início e até onde isso foi parar”, comenta.

Publicidade

O perito criminal e auditor independente também disse que Ana Hickmann não sabia desses acontecimentos, mas não pôde detalhar o andamento da investigação.

Ao Domingo Espetacular, Ana Hickmann afirmou que se deparou com muitas mentiras com relação à vida financeira e aos bens que compartilhava com Alexandre Correa. “Encontrei documentos, cheques, muita coisa que, algumas, quando olhei, não consegui identificar pra que serviam, se eram lícitas ou ilícitas. Assinaturas que tenho certeza que não são minhas. Valores que me deparei e falei: ‘Não é possível’”, disse ela.

LEIA TAMBÉM:

Entenda o caso

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

No dia 11 de novembro, Ana Hickmann deu entrada na delegacia e registrou um boletim de ocorrência, ao qual o Estadão teve acesso, acusando Alexandre Correa de agressão física. Segundo seu relato, ela estaria na cozinha de sua casa com o ex-marido, o filho e duas funcionárias. Ela teria dito algo ao filho que o marido não teria gostado e foi repreendida, com “ambos aumentando o tom de voz”. A criança teria pedido que parassem de brigar e saído correndo assustada.

“O autor passou a pressionar a vítima contra a parede, bem como a ameaçá-la de agredi-la com uma cabeçada, ocasião em que ela conseguiu afastá-lo e, ao tentar pegar seu telefone celular, que estava em cima de uma mesa na área externa, o autor, repentinamente, fechou a porta de correr da cozinha, o que pressionou o braço esquerdo da vítima”, diz o trecho seguinte do documento policial.

Ana, então, teria conseguido trancá-lo para fora de casa e fez a ligação para a Polícia Militar. Correa teria deixado o local pouco depois. Hickmann buscou atendimento médico no Hospital São Camilo, onde foi constatada uma contusão em seu cotovelo esquerdo. Ainda segundo o BO, ela teve o braço imobilizado com uma tipoia.

Publicidade

“A vítima tomou ciência das medidas protetivas conferidas pela Lei Maria da Penha, porém, neste momento, optou por não requerê-las”, encerra o documento.

O que diz Alexandre?

Alexandre confessou as agressões, mas negou que tenha dado uma cabeçada na apresentadora, segundo o UOL. Ana Hickmann voltou a falar sobre o caso durante uma entrevista ao Domingo Espetacular, da Record TV, no último domingo, 26, e disse que os dois tinham um relacionamento tóxico .

Após a repercussão da entrevista, o empresário afirmou que ela está cometendo “uma verdadeira injustiça” ao falar sobre o caso, segundo a Quem. Veja o pronunciamento compartilhado por ele à época em que a apresentadora registrou o boletim de ocorrência:

“De fato, na data de ontem, tive um desentendimento com a minha esposa, situação absolutamente isolada, que não gerou maiores consequências. Gostaria de esclarecer também que jamais dei uma cabeçada nela, como inveridicamente está sendo veiculado na imprensa, e que tudo será devidamente esclarecido no momento oportuno. Aproveito a oportunidade para pedir minhas mais sinceras desculpas a toda a minha família pelo ocorrido. São 25 anos de matrimônio, sem ter qualquer ocorrência dessa natureza. Sempre servi a Ana como seu agente, com todo zelo, carinho e respeito, como assim trato as 7 mulheres com quem trabalho no meu escritório”.

Divórcio e guarda compartilhada

Ana Hickmann entrou com pedido de divórcio de Alexandre Correa após realizar o boletim de ocorrência e acusá-lo de agressão. O empresário desistiu da ação de separação que movia contra a apresentadora. O processo, porém, continua ocorrendo, mas com base em uma ação pedida pela artista. Eles têm um filho juntos, Alezinho, de 10 anos.

Alexandre também abriu mão da guarda compartilhada do filho do casal e disse que gostaria de ver o menino uma vez por semana e cada 15 dias nos finais de semana. Ao ser questionado sobre por que Alexandre não quis a guarda compartilhada, o advogado disse que ele estaria seguindo uma vontade de Ana Hickmann. O Estadão questionou a equipe da artista para confirmar a informação, mas não teve retorno até o momento desta publicação. O espaço segue aberto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.