PUBLICIDADE

Ana Vilela, do sucesso ‘Trem Bala’, entra no OnlyFans: ‘Voltei’

Na bio da plataforma de conteúdo adulto, a cantora e compositora provoca: ‘Você vai pagar pra ver?’

Foto do author Thaíse Ramos
Por Thaíse Ramos

Ana Vilela, que ficou nacionalmente conhecida ao emprestar sua doce voz à canção Trem Bala, um grande sucesso de 2017, anunciou que abriu um perfil na plataforma de conteúdos adultos OnlyFans. A cantora e compositora de 23 anos divulgou a notícia nesta quarta-feira, 24, por meio de suas redes sociais.

PUBLICIDADE

“E vamos de gorda e lésbica no OnlyFans também. F*se. A vida é trem bala, parceiro”, escreveu Ana, na legenda de uma foto em que aparece fazendo uma pose sensual e usando lingerie preta.

A cantora recebeu uma chuva de comentários de seus seguidores no Twitter, que apoiaram a novidade. “Arrasou”, escreveu o ex-BBB 20 Victor Hugo. “Que isso, hein. Então essa é a novinha do OnlyFans”, emendou Mai Purper. “Meu trem bala até descarrilhou agora”, brincou a usuária Jasmine.

Ana Vilela também publicou a mesma foto no Instagram. “Entregou tudo”, escreveu um seguidor da artista, nos comentários da postagem. “Pelo amor de Deus, vai com calma que sou cardíaca”, brincou uma seguidora. “Nem tenho roupa para esse evento”, disse outro usuário.

Até o fechamento desta matéria, ainda não havia nenhum conteúdo na plataforma. Na bio de seu perfil no OnlyFans, a artista ainda provoca: “Você vai pagar pra ver?”.

Ansiedade e depressão

Nascida em Londrina, Ana Vilela encantou o Brasil com o seu talento único. Ela ficou bastante conhecida com a música Trem Bala, cuja letra fala sobre valorizar cada momento da vida e viver com consciência.

Apesar do sucesso estrondoso da canção, a cantora confessou em 2021, durante uma entrevista, que a música a causou problemas. Ela disse que a fama repentina rendeu ataques ao seu trabalho, ansiedade, além do diagnóstico de depressão.

Publicidade

Ana Vilela chegou a fazer uma postagem no Twitter pedindo para que as pessoas não fizessem comentários sobre a música, já que estavam “piorando” sua depressão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.