PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Comportamento, saúde e obesidade

Opinião|A ansiedade limita a alegria da vida

Exercícios de respiração podem ser o melhor recurso contra a ansiedade

Foto do author Luciana  Kotaka
Atualização:
 

Ao ficarmos em constante estado de alerta deixamos de viver o momento presente com qualidade, acionamos o estado sobrevivência e ficamos com todos os mecanismos de defesa em alerta. O que não percebemos é que quando estamos ansiosos ficamos engessados em um jeitão de ser, o nosso corpo é extremamente impactado pelo estado de estresse. A constante liberação de cortisol pode desencadear diversos sintomas como insônia, angústia, compulsão alimentar, irritabilidade, fadiga, pensamentos negativos, medo, falta de ar.

PUBLICIDADE

O fato é que acabamos nos acostumando com a ansiedade, é frequente percebermos pessoas se autodenominando como ansiosas com total naturalidade. Ser ansioso se tornou parte da identidade gerando um sentimento de pertencimento. Se sou ansioso como você eu tenho um lugar, pertenço a um grupo. Entre jovens é tão comum usar essa denominação que fica difícil separar o sintoma real do status que a ansiedade propõe.

O medo de uma possibilidade que ainda não se tornou a realidade define bem essa emoção, nos deixamos entrar nesse círculo vicioso e perdemos de viver o momento presente. O que a ansiedade faz é roubar a alegria da vida, os sintomas constantes minam qualquer possibilidade de nos sentirmos calmos, em paz e relaxados. Vamos adoecendo aos poucos e nem percebemos a extensão dos danos para a nossa saúde. Mas é claro que não faltam gatilhos para sermos impactados, todos os dias recebemos milhares de estímulos para que a ansiedade aumente, e lutar contra isso requer muita disciplina mental.

É importante sairmos da bolha para enxergarmos o quanto os nossos valores estão sendo distorcidos, e de forma sutil a nossa saúde vai sendo comprometida. Não toleramos esperar, queremos que tudo seja resolvido rapidamente, não aguentamos passar pelas etapas para que processos sejam construídos.

Quando tomamos consciência desse processo começamos a buscar meios que amenizam a ansiedade, desta forma vamos assumindo o controle dos pensamentos. São através deles que todo o processo se instala sendo inquestionável a importância de práticas de relaxamento e meditação. As medicações apenas atenuam, mas quando falamos em cura precisamos nos responsabilizar pelos pensamentos que alimentamos diariamente. Em uma sociedade imediatista parar para meditar ou respirar adequadamente pode ser desesperador a princípio, porém é a maneira mais adequada de se trabalhar a respiração e consequentemente, a diminuição da ansiedade.

Publicidade

 

 

 

 

 

 

 

Opinião por Luciana Kotaka
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.