PUBLICIDADE

Publicidade

Chinesa de 7 anos derrota Federer no tênis de mesa e tira onda; veja vídeo

Ex-tenista sai perdendo, busca empate, mas é derrotado por Guo Duoer, a Pinapple, campeã nacional

PUBLICIDADE

Foto do author Leonardo Catto
Por Leonardo Catto

Roger Federer, tenista que já foi recordista de títulos em Grand Slams, com 20 conquistas, enfrentou um dos seus principais desafios. E perdeu. A vitória ficou com Guo Duor, a Pinapple, chinesa de apenas sete anos e campeã nacional no tênis de mesa. O confronto aconteceu para uma série de vídeos que acompanha Federer pelo mundo, a 24 Hours with Roger (24 horas com Roger, em inglês), em Xangai.

PUBLICIDADE

“Como um ex-tenista que ficou entre os melhores do mundo, pode-se pensar que eu teria vantagem no tênis de mesa. Mas, aqui na China, tênis de mesa é vivido por quase todo mundo. Há promessas de campeões em todos os níveis. Eu estou aqui para aprender com uma das melhores”, conta Federer no começo do vídeo.

Logo que encontra a adversária e o jogo começa, o ex-tenista comenta: “Você é tão fofa, adorei o penteado”. Quando ele terminou a frase, a garota já marcou o primeiro ponto da partida. “Ela é muito boa”, completou Federer. Enquanto jogava, o suíço recebia instruções sobre movimentos e como segurar a raquete.

Quem chegasse primeiro a 11 pontos sairia vencedor. Pinapple abriu grande vantagem por 5 a 2. Federer buscou um empate em 7 a 7, mas não conseguiu ficar a frente no placar em nenhum momento. Quando estava 9 a 8, o ex-tenista rebateu um lance que quase atingiu a cabeça da menina. Entre risos, ele se desculpou. O jogo terminou 11 a 8. “Eu acabei de vencer contra Roger Federer”, comemorou a garota no final do vídeo.

Ela começou no esporte há dois anos, quando tinha apenas cinco anos. Federer jogou tênis por três décadas e meia até se aposentar em 2022. Ao todo, ele venceu 103 troféus e premiação estimada em 130 milhões de dólares (R$ 644 milhões na cotação atual).

A série 24 Hours with Roger é um projeto da Uniqlo, empresa multinacional do Japão que cria, desenvolve e confecciona roupas e patrocina Federer. A marca fechou com ele em 2018, após o atleta deixar a Nike, com um contrato de 300 milhões de euros (R$ 1,35 bilhão, na cotação da época) válido por dez anos. Atualmente, a Forbes aponta Federer como o nono atleta mais bem pago do mundo, o primeiro do tênis. Os vídeos da série passam, além de Xangai, por Tóquio (Japão), Nova York (Estados Unidos) e Londres (Reino Unido).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.