PUBLICIDADE

Publicidade

Destruição da pista de atletismo do Ibirapuera é criticada e evento de drift vai ter novo lugar

Secretaria de Esportes recua após imagens de trator removendo borracha do piso viralizar nas redes e tenta realocar etapa automobilística para outro lugar do complexo; empresa rebate críticas

Foto do author Felipe Rosa Mendes
Por Felipe Rosa Mendes
Atualização:

Após ser alvo de críticas da comunidade do atletismo brasileiro, a Secretaria de Esportes do Estado de São Paulo recuou e decidiu nesta quinta-feira, dia 15, realocar o evento de drift, antes marcado para acontecer sobre a pista de atletismo do Estádio Ícaro de Castro Melo, para um outro local dentro do Complexo do Ibirapuera.

PUBLICIDADE

“A Secretaria de Esportes está em tratativas com a empresa de automobilismo, buscando uma realocação do local do evento que seria realizado no fim de semana do dia 9 de março no Estádio Ícaro de Castro Mello”, informou a secretaria, um dia depois de anunciar o cancelamento do contrato com a empresa.

A decisão de realocar o evento de drift é consequência direta das críticas que o órgão recebeu nos últimos dias por ter cedido a pista de atletismo do complexo para a disputa de uma etapa da Ultimate Drift, de carros de automobilismo. No início da semana, o perfil do campeonato publicou nas redes sociais fotos e vídeos em que um trator aparece removendo a borracha da pista de atletismo.

Trator arranca borracha do piso de atletismo do Ibirapuera. Foto: Reprodução/@ultimatedriftbr

As imagens viralizaram na comunidade da modalidade e a Confederação Brasileira de atletismo (CBAt) se manifestou publicamente lamentando a destruição da tradicional pista. “A CBAt recebeu com perplexidade a notícia, veiculada pelas redes sociais, e lamenta profundamente a utilização da ‘pista’ de atletismo do Estádio Ícaro de Castro Mello, o Ibirapuera, localizado no Complexo Esportivo Constâncio Vaz Guimarães, para a realização de etapa da Ultimate Drift, anunciada para 9 e 10 março”, disse a entidade, em nota.

De acordo com a confederação, o piso do estádio não foi projetado para receber provas de automobilismo. “Não existe prova de automobilismo em pista de atletismo. É inaceitável. Nada contra o drift ou o automobilismo, mas provas de automobilismo são realizadas em autódromos”, declarou o presidente do Conselho de Administração da CBAt, Wlamir Motta Campos.

Rompimento do contrato

Em resposta, a secretaria anunciou na quarta-feira o cancelamento do contrato. Em nota, o órgão do governo estadual destacou seu “compromisso” com a reforma do local. “A Secretaria de Esportes cancelou o contrato de locação do Estádio Ícaro de Castro Mello para o evento automobilístico previsto para 9 de março. A pasta reitera seu compromisso com a reforma do Complexo Esportivo Constâncio Vaz Guimarães e destaca que as tratativas para este fim com o Iphan e demais órgãos estaduais estão em andamento. A revitalização da pista de atletismo é prioridade desse projeto, vez que a modalidade é e continuará sendo protagonista desse equipamento público.”

Nesta quinta-feira, a secretaria disse que as tratativas para a reforma do local estão “em andamento”. “A Pasta reitera seu compromisso com a reforma do Complexo Esportivo Constâncio Vaz Guimarães e destaca que as tratativas para este fim com o Iphan e demais órgãos estaduais estão em andamento. A pista de Atletismo é prioridade desse projeto, vez que a modalidade é e continuará sendo protagonista desse equipamento público.”

Publicidade

A confederação havia revelado preocupação com os danos que o evento de drift poderiam causar sobre a estrutura abaixo da pista de borracha. “Confesso que temos uma preocupação enorme, pela estrutura e, principalmente, pelo histórico. Quando mudamos a função da pista, isso acaba por distanciar o propósito”, disse o presidente do Conselho de Administração da CBAt.

Ainda de acordo com a confederação, a cidade de São Paulo não tem pista em condições de receber edições de GPs internacionais e o próprio Troféu Brasil atualmente. A secretaria, por sua vez, destacou que a pista não recebia grandes eventos desde 2013 e “não estava em condições de utilização para prática esportiva ou recreativa”.

A pasta anunciou também que a CBAt e a Federação Paulista de Atletismo passa a integrar o grupo de trabalho responsável pelo projeto de reforma do Complexo do Ibirapuera.

Empresa rebate críticas

PUBLICIDADE

Também em comunicado, a empresa que organiza o evento de drift rebateu as críticas recebidas nos últimos dias. “A Ultimate Drift respeita e acredita que todos os esportes são importantes e geram impactos sócio culturais, e não enxerga motivos para que mais de um esporte não possa ser praticado no mesmo local”, registrou.

A empresa informou que bancou os custos da retirada do piso de borracha e do nivelamento do piso abaixo, “sendo que suas obras economizarão recursos do poder público e encurtarão o caminho caso decidam realizar a implantação futura de pista de atletismo profissional”. “Diante disso, fomos pegos de surpresa com os posicionamentos contra o evento, uma vez que, em nossa visão, estávamos ajudando na melhoria do espaço sem condições para receber eventos esportivos, sendo o drift o primeiro esporte de fato a fazer parte da reforma necessária.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.