Publicidade

Entenda como funciona protocolo antissuicídio ativado após julgamento de Daniel Alves

Estado emocional do brasileiro é motivo de preocupação após ele ser visto ‘deprimido e desanimado’ na prisão; acusado de estupro, jogador alega inocência e pode pegar até nove anos de reclusão

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Alerta: a reportagem abaixo trata de temas como suicídio e transtornos mentais. Se você está passando por problemas, veja ao final do texto onde buscar ajuda.

PUBLICIDADE

Preso há mais de um ano na Espanha sob a acusação de estuprar uma mulher de 23 anos, Daniel Alves aguarda a sentença do Tribunal de Barcelona após ser julgado no início do mês. Ele alega inocência, diz que estava bêbado, mas afirma que a relação foi consensual. O estado emocional do jogador é motivo de preocupação de educadores, funcionários e demais presos do Centro Penitenciário Brians 2, onde ele está detido, e um protocolo antissuicídio foi acionado.

A informação foi revelada pelo canal de TV espanhol Telecinco. Segundo a jornalista Silvia Álamo, Daniel Alves foi visto “deprimido e desanimado” nas dependências da prisão de Brians após o julgamento e despertou a atenção dos funcionários da penitenciária. “Por medo de que ele se cortasse ou fizesse alguma loucura, ele estava com esse protocolo no dia seguinte ao julgamento”, contou a jornalista ao relatar a revelação do preso.

De acordo com a imprensa espanhola, o protocolo consiste em monitorar constantemente o preso, no caso o jogador brasileiro, restringir sua liberdade de movimento e controlar o acesso a objetos perigosos, evitando que ele se machuque em sua cela ou até mesmo tente tirar a própria vida.

Daniel Alves está preso há um ano, na Espanha, sob a acusação de estuprar mulher de 23 anos.  Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Ainda de acordo com o canal Telecinco, Daniel Alves foi acusado por um colega de cela de planejar uma fuga para o Brasil. Segundo o detento, a ideia seria executada caso a Justiça espanhola concedesse liberdade provisória ao lateral, mas o atleta teve quatro pedidos negados. A defesa do jogador sempre alegou nas solicitações que ele tinha residência em Barcelona e não tinha intenção de deixar o país.

O julgamento de Daniel Alves durou três dias e foi finalizado no dia 7 de fevereiro. A mulher que acusa o brasileiro de estupro manteve a versão inicial e reafirmou ter sido violentada. O jogador chorou bastante e afirmou que a relação com a denunciante foi consensual. A Corte tem um prazo de 20 dias para anunciar a sentença após o fim do julgamento — faltam sete dias para o fim da data limite.

O Ministério Público manteve o pedido inicial de 9 anos de prisão, enquanto a advogada Ester García, representante da denunciante, continua solicitando a pena máxima de 12 anos. A defesa de Daniel Alves, por sua vez, defende a absolvição, mas, caso ele seja condenado, sugere uma pena alternativa de 1 ano, período já cumprido pelo jogador na cadeia, junto a uma multa de 50 mil euros.

Publicidade

Onde buscar ajuda?

Se você está passando por sofrimento psíquico ou conhece alguém nessa situação, veja abaixo onde encontrar ajuda:

Centro de Valorização da Vida (CVV)

Se estiver precisando de ajuda imediata, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV), serviço gratuito de apoio emocional que disponibiliza atendimento 24 horas por dia. O contato pode ser feito por e-mail, pelo chat no site ou pelo telefone 188.

Canal Pode Falar

Iniciativa criada pelo Unicef para oferecer escuta para adolescentes e jovens de 13 a 24 anos. O contato com o Canal Pode Falar pode ser feito pelo WhatsApp, de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h.

SUS

Os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) são unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) voltadas para o atendimento de pacientes com transtornos mentais. Há unidades específicas para crianças e adolescentes. Na cidade de São Paulo, são 33 Caps Infantojuventis e é possível buscar os endereços das unidades nesta página.

Mapa da Saúde Mental

O site Mapa da Saúde Mental traz mapas com unidades de saúde e iniciativas gratuitas de atendimento psicológico presencial e online. Disponibiliza ainda materiais de orientação sobre transtornos mentais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.