Publicidade

Daniel Alves: detento revela plano de fuga e que protocolo antissuicídio foi ativado pós-julgamento

Companheiro de cela afirma a TV espanhola que brasileiro colocaria ideia em prática caso tivesse direito a liberdade provisória; defesa nega e afirma que lateral tem residência em Barcelona

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Alerta: a reportagem abaixo trata de temas como suicídio e transtornos mentais. Se você está passando por problemas, veja ao final do texto onde buscar ajuda.

PUBLICIDADE

Julgado no início do mês por acusação de estupro contra uma mulher em Barcelona, Daniel Alves foi acusado por um colega de cela de planejar uma fuga para o Brasil. Segundo ele afirmou, a ideia seria executada caso a Justiça espanhola concedesse liberdade provisória ao lateral-direito. O atleta teve quatro pedidos negados. A defesa do jogador sempre alegou nos pedidos para responder em liberdade que ele tinha residência em Barcelona e não iria deixar o país.

De acordo com a jornalista Silvia Álamo, do canal de TV espanhol Telecinco, os funcionários da prisão de Brians, onde Daniel Alves está detido desde o ano passado, estavam cientes da intenção do jogador em escapar do cativeiro.

O lateral-direito teria, a princípio, contado o plano somente a um companheiro de prisão, mas este o teria traído ao contar os detalhes para outros detentos da cadeia. “Ele estava trabalhando naquele momento na cozinha e estava contando o que Alves havia lhe contado, que seu plano era fugir para o Brasil e ele o fez, de propósito, na frente dos agentes penitenciários”, afirmou Sílvia Álamo, durante o programa TardeAR.

Daniel Alves foi acusado por companheiro de cela de planejar fuga para o Brasil Foto: Jordi Borras/AFP

O estado emocional de Daniel Alves logo após o fim do julgamento teria preocupado educadores, funcionários e demais presos, segundo relato dado pelo detento ao jornalista. Conforme afirmou, o lateral foi visto “deprimido e desanimado” nas dependências da prisão de Brians.

Por conta disso, a administração prisional precisou acionar um protocolo antissuicídio. “Por medo de que ele se cortasse ou fizesse alguma loucura, ele estava com esse protocolo no dia seguinte ao julgamento”, contou a jornalista ao relatar a revelação do preso.

O julgamento de Daniel Alves durou três dias e foi finalizado no dia 7 de fevereiro. Na audiência do último dia, foram ouvidos peritos forenses, policiais científicos e peritos da defesa, além do próprio atleta. A partir do término, a Corte tem prazo de 20 dias para anunciar a sentença - hoje, dia 18, restam ainda nove para o fim do prazo.

Publicidade

O que diz a defesa?

A defesa de Daniel Alves alegou que o lateral nunca teve intenção de retornar ao Brasil, negando as especulações. Segundo a defesa, o brasileiro tem residência em Barcelona e continuaria na Espanha.

Onde buscar ajuda?

Se você está passando por sofrimento psíquico ou conhece alguém nessa situação, veja abaixo onde encontrar ajuda:

Centro de Valorização da Vida (CVV)

Se estiver precisando de ajuda imediata, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV), serviço gratuito de apoio emocional que disponibiliza atendimento 24 horas por dia. O contato pode ser feito por e-mail, pelo chat no site ou pelo telefone 188.

Canal Pode Falar

Iniciativa criada pelo Unicef para oferecer escuta para adolescentes e jovens de 13 a 24 anos. O contato com o Canal Pode Falar pode ser feito pelo WhatsApp, de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h.

SUS

Os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) são unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) voltadas para o atendimento de pacientes com transtornos mentais. Há unidades específicas para crianças e adolescentes. Na cidade de São Paulo, são 33 Caps Infantojuventis e é possível buscar os endereços das unidades nesta página.

Mapa da Saúde Mental

O site Mapa da Saúde Mental traz mapas com unidades de saúde e iniciativas gratuitas de atendimento psicológico presencial e online. Disponibiliza ainda materiais de orientação sobre transtornos mentais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.