PUBLICIDADE

Publicidade

‘É um título que fez falta para mim e para o São Paulo’, diz Raí sobre a final da Copa do Brasil

Campeão do mundo pelo tricolor, meia foi vice-campeão da competição e conta ao ‘Estadão’ sobre as expectativas para a decisão de domingo contra o Flamengo

Por Gabriel Batistella
Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC
Entrevista comRaíEx-jogador e ídolo do São Paulo

O futebol brasileiro conhece neste domingo o campeão da Copa do Brasil. São Paulo e Flamengo jogam os últimos 90 minutos de uma final que começou semana passada, no Maracanã, quando a equipe paulista ganhou por 1 a 0 e agora pode se apegar ao empate, qualquer que seja, para festejar seu primeiro título da competição. O duelo está marcado para o Estádio do Morumbi, às 16h, tem promessa de casa cheia - os ingressos disponíveis foram esgotados em questão de horas. Estima-se 60 mil pessoas.

A expectativa entre os tricolores é gigantesca. Além de ser um título inédito, pode ainda encerrar um jejum de 11 anos que incomoda o torcedor de não conquistar nada “relevância”. Dentre os milhões de são paulinos no Brasil, um em específico aguarda o desfecho desta final de forma especial. Trata-se do ídolo Raí, que praticamente conquistou todos os títulos possíveis pelo clube (Estaduais, Brasileiro, Libertadores e Mundial) do Morumbi, menos o da Copa do Brasil. Ele esteve na final de 2000, mas viu a conquista escapar nos minutos finais diante do Cruzeiro. Raí respondeu algumas perguntas do Estadão sobre a final deste domingo, mesmo morando fora do Brasil, em Paris, há dois anos.

Ele disse que não consegue acompanhar a temporada do futebol brasileiro, mas sempre que pode, dá um jeito de ver o time do coração. O craque falou com exclusividade ao Estadão sobre as expectativas da final e do seu São Paulo festejar um título inédito.

Qual é a sua expectativa para a decisão de domingo? O São Paulo tem a vantagem do empate, conquistada no Rio, além de decidir no Morumbi. O time é favorito?

O São Paulo é favorito com méritos diante do Flamengo. Eu não pude acompanhar a temporada dos clubes brasileiros por inteira, mas pelo que eu vi, o São Paulo é um clube que tem uma consistência de atuação muito boa. Não é fácil conseguir jogar o primeiro jogo na final de uma Copa do Brasil fora de casa e obter uma vitória. Então, sem dúvida nenhuma, o São Paulo é, na minha opinião, favorito, ainda mais jogando em casa e com a sua torcida. Esse favoritismo cresce ainda mais e ganha força.

A torcida do São Paulo vem dando show já há muitos anos, né? Em situações difíceis, levantando o clube, fazendo o time crescer quando está ali no meio da tabela e nas fases decisivas também, não só dando show no Morumbi, mas em momentos no CT e nas viagens... Sem dúvida nenhuma, sempre que posso, em que estou no Brasil, vou ao Morumbi. Sempre me emociono e é um espetáculo à parte o que a torcida vem fazendo. Há muitas décadas se falava mais da torcida nos jogos da Libertadores, quando ela se revelava. Sem dúvida nenhuma agora, em todos os jogos, é uma torcida que marca presença, que tem força e faz a diferença quando o jogo é no Morumbi.

Raí vê comportamento da torcida como fundamental para o São Paulo

Raí vê comportamento da torcida como fundamental para o São Paulo

00:0000:00

O agora técnico do Bahia, Rogério Ceni, quando se tornou treinador do São Paulo em 2021, apontou alguns defeitos no clube. No ano seguinte, o elenco voltou a decidir campeonatos mesmo não levando o troféu (foi vice no Paulistão e na Sul-Americana). Como o legado do Ceni influenciou para que o time pudesse ter condições para chegar à final deste ano?

Pelo que conheço do Rogério, na capacidade do treinador, ele conseguiu superar várias dificuldades naquele momento do clube, chegando a duas finais. Ele é um treinador capaz e inteligente. Independentemente de ter feito a performance, ou quanto tempo passou no clube, obviamente que o trabalho sempre deixa um legado que acaba favorecendo aqueles que vêm depois. Sempre acreditei no trabalho do Rogério Ceni, todos sabemos da inteligência, capacidade e também da ambição dele, de como se dedica na profissão. É um treinador que admiro bastante. Por onde passa, ele sempre deixa bons legados.

Jogadores como Arboleda, Calleri, Rafinha, Rafael, Luciano e até mesmo o treinador Dorival Júnior, caso conquistem o título, serão eternizados como ídolos do São Paulo?

O São Paulo é conhecido por ter os títulos mais importantes internacionalmente do futebol brasileiro. Mas todos esperam esse título inédito há muito tempo. Confirmando o que fez no Maracanã e ganhando, o grupo inteiro entrará para a história. É um título importantíssimo, que o São Paulo precisa para completar sua galeria. Arboleda, Luciano e o Calleri são jogadores que já estão marcados na história do São Paulo. Confirmando a conquista, eles entrarão num outro estágio, assim como os outros jogadores que você citou. O Dorival, que ganhou esse título pelo Flamengo no ano passado, também vai entrar para história caso conquiste de novo e um título que falta para o clube.

Publicidade

Raí elogia o atual elenco do São Paulo

Raí elogia o atual elenco do São Paulo

00:0000:00
Campeão do Brasileiro, Libertadores e do Mundial pelo São Paulo, Raí foi vice-campeão da Copa do Brasil em 2000. Foto: Paulo Pinto / Estadão Foto: Paulo Pinto/Estadão

Assim como você em 1998, o Lucas retornou ao São Paulo neste ano e foi peça importante para a classificação contra o Corinthians. O que falar sobre esse paralelo de 2023 e 1998? De você e ele? Vocês até quase coincidem na na idade quando retornaram da Europa...

O Lucas é um jogador, um atleta que admiro bastante e também como pessoa. Já tinha encontrado com ele no São Paulo, mas o encontrei várias vezes quando estava jogando no Paris Saint-Germain. É um jogador com carisma, um carisma não só como personalidade, mas também como entrega. Além da qualidade técnica e todo o potencial físico e técnico, ele tem de fazer a diferença em grandes momentos. Ele também é um jogador que se entrega muito ao jogo, se dedica, dá tudo que pode em todos os momentos, no treino e na partida de maneira rara. O que posso dizer desse nível de entrega que ele tem, são poucos jogadores que conseguem fazer isso. Fiquei muito feliz dessa coincidência, né? De voltar para o clube ganhado do Corinthians, de levar o time a esta final. Um atleta, bom jogador, amigo que merece muito e sem dúvida é um jogador que já faz parte da história do São Paulo. Já é um dos jogadores mais queridos da história do clube e também muito merecedor desse título para reafirmar e, como você disse, eternizá-lo na vida do tricolor.

Raí comenta sobre o retorno de Lucas ao São Paulo

Raí comenta sobre o retorno de Lucas ao São Paulo

00:0000:00

Há 23 anos, o São Paulo decidia a final de Copa do Brasil, com Cruzeiro. Você estava no time e, ao mesmo tempo, no processo de encerrar a carreira... O que lembra daquela noite que ficou marcada “literalmente” nos acréscimos para muitos são-paulinos (perdeu e foi vice)?

Aquela final foi a que mais sofri de não ter vencido. Eu tinha programado o fim da minha carreira com 35 anos de idade, seria o final perfeito caso vencesse aquela partida contra o Cruzeiro e a competição, mas escapou nos acréscimos, Foi a que mais sofri. Eu lamento muito de não ter levantado aquela taça, terminando a carreira com uma imagem minha entregando um título inédito ao São Paulo. É um título que faz falta para mim e para o São Paulo, é um título que ganhou muita importância nas últimas décadas, e um clube como o São Paulo tem de ter este troféu, juntamente com outros tantos na galeria.

Qual é o placar final para a decisão de domingo?

Olha, palpites são sempre complicados... Estou entre 2 a 1 e 3 a1 para o São Paulo. Vai ser um jogaço. O Flamengo vai para cima, mas estou confiando muito no time do São Paulo! Vou estar sofrendo, torcendo e vibrando daqui, de Paris, pela vitória do tricolor!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.