PUBLICIDADE

Publicidade

Felipão deixa Atlético-MG às vésperas da final do Campeonato Mineiro

Técnico tinha contrato com o clube até o final desta temporada, mas faz acordo para rescisão consensual; treinador argentino é possível substituto

PUBLICIDADE

Foto do author Leonardo Catto
Por Leonardo Catto
Atualização:

Felipão não é mais técnico do Atlético-MG. O técnico teve a saída a anunciada pelo clube nesta quarta-feira, dia 20, após uma reunião da diretoria, que avaliou o momento do treinador como ruim e sem perspectiva de melhora. A equipe está na final do Campeonato Mineiro e vai enfrentar o Cruzeiro após a Data Fifa.

PUBLICIDADE

A ideia da direção é que o período de pausa de jogos ajude o elenco a processar a mudança. Felipão também deixa o clube antes da estreia na Libertadores. O time mineiro está no Grupo G, com Peñarol-URU, Rosario Central-ARG e Caracas-VEN. O primeiro jogo na competição continental será em 4 de abril, diante do Caracas, na Venezuela.

A rescisão de Felipão foi decidida depois de uma derrota para o América-MG, por 2 a 1, na semifinal do Estadual. O time só conseguiu a classificação porque havia vencido por 2 a 0 o primeiro jogo. O elenco teve três dias de folga e retoma os treinamentos nesta quarta-feira, sob o comando do auxiliar-técnico Lucas Gonçalves, da comissão técnica permanente do clube. Felipão aceitou um acordo para rescisão com o Atlético-MG. A multa de rescisão com o treinador era referente a três salários. Os vencimentos pagos pelo Atlético-MG são de R$ 800 mil mensais e o montante de R$ 2,4 milhões deve ser quitado de forma parcelada.

Felipão reconstruiu o Atlético-MG no Brasileirão 2023, mas vivia má fase nesta temporada. Foto: Pedro Souza / Atletico

Fora de campo, a relação de Felipão com a torcida também não vinha bem. O desempenho ruim do time refletia em vaias e pedidos da saída do treinador na arquibancada. Recentemente, a indignação de uma jovem torcedora viralizou nas redes sociais. A menina concedia entrevista à rádio Itatiaia e criticou as decisões de Felipão. O treinador também já teve episódios de discussões com torcedores na saída para intervalo de uma partida e em um aeroporto, quando viajava com a delegação atleticana.

Nos bastidores, a direção já avaliava que não havia perspectiva de melhora no trabalho do treinador gaúcho. Scolari tinha vínculo com o Galo até final de 2024. No total, o treinador comandou o Atlético em 41 partidas, com 19 vitórias, 10 empates e 12 derrotas, um aproveitamento de 54%.

O técnico pentacampeão mundial com a seleção brasileira chegou ao Atlético-MG em junho de 2023 para o lugar do argentino Eduardo Coudet. A equipe era a quinta colocada no Campeonato Brasileiro, na 11ª rodada da competição e na fase de grupos da Libertadores. O começo foi instável, e a primeira vitória veio apenas em agosto, por 2 a 0, contra o São Paulo, em meio à eliminação para o Palmeiras nas oitavas de final da competição continental.

O time terminou o primeiro turno do Brasileirão na 10ª posição. A partir dali, contudo, houve uma virada, com a recuperação do desempenho. Após tropeços do Botafogo, que liderava o torneio isoladamente, o Atlético-MG passou a ser um dos candidatos ao título e chegou a ocupar o segundo lugar na penúltima rodada, mas acabou em terceiro.

Publicidade

Era esperado que o desempenho em 2024 fosse melhor do que o apresentado até então. Em 10 partidas, todas pelo Campeonato Mineiro, foram apenas cinco vitórias, além de três derrotas e dois empates. O próximo compromisso do Atlético-MG é o primeiro jogo da final, contra o Cruzeiro, na Arena MRV, dia 30 de março. A volta está marcada para 7 de abril.

Nomes de treinadores argentinos são avaliados como substitutos de Felipão

Gabriel Milito e Juan Pablo Vojvoda, do Fortaleza, são especulados como substitutos do técnico no Atlético-MG. A situação de Vojvoda é mais difícil, já que o treinador tem vínculo com o atual clube até o final de 2025 e já demonstrou vontade de ficar na capital cearense.

Já Milito está livre no mercado. Ele chegou a ser especulado no Corinthians após a saída de Mano Menezes. O último e mais valorizado trabalho dele foi no Argentinos Juniors, entre janeiro de 2021 e agosto de 2023. Foram 135 partidas, com 58 vitórias, 33 empates e 44 derrotas. Apesar de não ter conquistado nenhum título, o trabalho foi notório pela qualidade do futebol jogado. Milito foi ganhador do prêmio Alumni, concedido por diretores do futebol argentino, como melhor treinador da temporada 2022. O vínculo com o clube, que ia até 2027, foi encerrado a pedido do próprio treinador, que confessou ao presidente estar estressado na função. A saída foi encarada com surpresa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.