PUBLICIDADE

Publicidade

Gabigol volta a treinar no Flamengo e usa novo número de camisa; veja qual

Atleta é punido por clube carioca após ter imagens suas com uniforme do Corinthians vazadas

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Após sofrer punição imposta pela diretoria do clube e perder o direito de usar a camisa 10 do Flamengo, o atacante Gabigol voltou a treinar no CT do time e apareceu na manhã deste sábado, dia 18 de maio, com uma nova numeração para chamar de sua: a 99.

O atleta, que havia sido dispensado do treino nesta sexta-feira, dia 17 de maio, após ter imagens suas vazadas onde vestia o uniforme do Corinthians, foi reintegrado ao elenco e deve ser relacionado para a partida contra o Amazonas, na próxima quarta-feira, válida pela Copa do Brasil.

Gabigol em partida válida pela Libertadores contra o Palestino. Foto: Ivan Alvarado/Reuters

A foto, que mostra Gabigol em um momento de descontração utilizando o novo segundo uniforme da equipe paulista, pipocou nas redes sociais na noite de quinta-feira, dia 16 de maio. O estafe do atleta chegou a negar a veracidade da imagem, mas voltou atrás após a punição aplicada pelo Flamengo.

PUBLICIDADE

“O Clube de Regatas do Flamengo informa que, após reunião com o vice-presidente de futebol, Marcos Braz, e demais diretores do departamento, o atleta Gabriel Barbosa foi multado e comunicado pelo dirigente de que não usará mais a camisa 10 rubro-negra nas competições possíveis de alteração da numeração”, informou o clube em nota.

Em suas redes sociais, o atacante se justificou com a torcida rubro-negra. “Hoje fui comunicado pelos diretores do Flamengo que não vestirei mais a 10. Cabe a mim aceitar e respeitar o comando do clube. Mas isso jamais vai apagar a história que construí com meus companheiros de equipe. Aceito a próxima camisa e vou dar a vida em campo pelo Mengão até o fim da nossa história”, escreveu Gabigol.

Gabigol vai continuar usando a camisa 10 na fase de Grupos da Libertadores já que não é possível fazer a mudança com a competição em andamento. Em má fase, o atleta amarga o banco de reserva com o Tite e ainda enfrenta repercussões da polêmica extracampo que custou ao atleta uma suspensão de dois anos, aplicada pelo Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD) por fraude em exame antidoping.

No final do mês de abril, o atacante foi liberado para defender o Flamengo após a defesa do atleta obter um efeito suspensivo na Corte Arbitral do Esporte (CAS). Com o contrato para se encerrar ao final do ano, parece cada vez mais improvável que a relação entre jogador e clube continue.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.