PUBLICIDADE

Publicidade

Resumo do Pan 2023: judô brasileiro leva prata por equipes e deixa Santiago com 16 medalhas

Brasil tem vitórias no atletismo, esgrima e basquete, mas termina dia sem ouro

Foto do author Róbson Martins
Por Róbson Martins
Atualização:

O judô brasileiro encerrou a sua participação com 16 medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Santiago 2023, no Chile. Nesta terça-feira, 31, os judocas do Brasil levaram a prata na disputa por equipes mistas.

O dia terminou sem nenhum ouro do País, mas com destaques de atletas no atletismo, esgrima, basquete, vôlei, entre outras modalidades.

Veja os destaques brasileiros do dia:

Judô brasileiro perde final por equipes mistas e leva prata. Foto: Wander Roberto/COB

Judô

PUBLICIDADE

O judô brasileiro encerrou os Jogos Pan-Americanos de Santiago com 16 medalhas, sendo a última de prata na disputa por equipes mistas. A equipe brasileira foi derrotada por 4 a 3 por Cuba, mas conquistou um feito inédito ao terminar em segundo lugar.

A medalha tem um sabor especial para o Brasil, que conquistou a sua de número 1.500 em Pans. Essa é a melhor campanha da história do país na competição, com sete ouros, três pratas e seis bronzes, superando o desempenho em Guadalajara-2011, quando subiu ao pódio em 13 oportunidades.

Judô brasileiro encerra participação em Santiago com prata nas disputa por equipes mistas. Foto: Ivan Alvarado/Reuters

Atletismo

Altobeli da Silva cruzou a linha de chegada em quarto lugar nos 5.000m com o tempo de 14m48s18, mas acabou recebendo a medalha de bronze após a desclassificação do vencedor mexicano, Fernando Martinez.

Enquanto José Fernando Santana, o “Balotelli”, foi bem nos 1.500m do decatlo e fechou o decatlo com a prata. Felipe Bardi (10s31) chegou perto do ouro nos 100m, mas foi ultrapassado pelo dominicano José Gonzalez (10s30) na reta final da prova.

José Fernando Santana fecha decatlo com prata no Pan 2023. Foto: Mauro Pimentel/AFP

Tênis de mesa

Nas duplas femininas do tênis de mesa, as irmãs Bruna e Giulia Takahashi chegaram à decisão, mas bateram na trave e terminaram com a prata. Elas foram superadas no tie-break (4 sets a 3) pelas americanas Amy Wang e Rachel Sung.

Publicidade

Hugo Calderano e Vitor Ishiy também ficaram com o vice no masculino, enfrentando Jorge Campos e Andy Pereira, de Cuba. O resultado foi 4 a 2 para os adversários.

Vôlei

Com outro show de Darlan, a seleção brasileira de vôlei masculino manteve a invencibilidade ao vencer o México por 3 sets a 0 (25/13, 25/15 e 25/20), o mesmo placar da estreia contra a Colômbia. Já classificado para a fase eliminatória, o time volta à quadra contra Cuba nesta quarta-feira, em um confronto que definirá o líder do grupo A e a vaga direta nas semifinais.

Polo Aquático

O Brasil garantiu o seu lugar nas semifinais do polo aquático feminino ao derrotar o Chile por 31 a 2, a segunda vitória consecutiva na competição. São 50 gols marcados e nove sofridos em apenas duas partidas. Na competição masculina, os brasileiros também mantiveram 100% de aproveitamento, vencendo o México por 21 a 10.

Ambas equipes encerram encerram a primeira fase nesta quarta-feira diante dos Estados Unidos.

Esgrima

Na esgrima, Guilherme Toldo conquistou mais um bronze para o Brasil e a sua quinta medalha pan-americana. O brasileiro chegou invicto à semifinal do florete, mas acabou caindo para o americano Miles Chamley por 15 a 9.

Hipismo

No hipismo com saltos, a equipe masculina terminou o primeiro dia com o melhor tempo. Favoritos na luta por medalha, os Estados Unidos finalizaram em quinto, atrás também de Colômbia, Canadá e Argentina.

O brasileiro Marlon Zanotelli é quem lidera a prova, com Pedro Veniss logo atrás. Stephan Barcha foi o 14º, enquanto Rodrigo Pessoa, o 18º.

Publicidade

Basquete

O Brasil teve uma estreia tranquila no basquete masculino, vencendo o México por 74 a 54. O próximo desafio será contra o Chile, marcado para quarta-feira.

Handebol

A seleção brasileira masculina de handebol venceu a República Dominicana por 36 a 20, assegurando sua vaga nas semifinais de forma antecipada. O Brasil dominou a partida desde o início e não encontrou grandes desafios no confronto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.