PUBLICIDADE

Publicidade

Fórmula 1: Verstappen ganha 50ª na carreira; Hamilton e Leclerc são desclassificados do GP dos EUA

Holandês vence 15ª corrida da temporada 2023; Norris e Carlos Sainz completam o pódio em Austin

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Max Verstappen chegou neste domingo a 50 vitórias na Fórmula 1. Largando em sexto, o holandês tricampeão guiou sua Red Bull com maestria no Grande Prêmio dos Estados Unidos e conquistou o 15º troféu na temporada, igualando o seu recorde do ano passado.

PUBLICIDADE

Lewis Hamilton, da Mercedes, chegou em segundo e Lando Norris, da McLaren, em terceiro. Charles Leclerc, que largou na pole com a sua Ferrari, teve uma tarde para esquecer no circuito de Austin, no Texas. Ainda mais depois que ele e o heptacampeão acabaram desclassificados por infringirem o regulamento técnico por apresentarem um desgaste exagerado na prancha de madeira do assoalho. Assim, Norris assumiu o segundo lugar, e Carlos Sainz Jr., da Ferrari, foi promovido para o pódio.

O monegasco, que já havia largado muito mal e perdeu duas posições nas primeiras voltas, confiou na estratégia da equipe de realizar apenas uma parada com pneus duros e despencou no grid, terminando a corrida em sexto. Yuki Tsunoda anotou o tempo mais rápido no final da prova e somou alguns pontos com a AlphaTauri: 1m38s139.

A briga por posições começou forte já na largada em Austin. Charles Leclerc saiu novamente muito mal e foi ultrapassado na primeira curva pela McLaren de Lando Norris. Lewis Hamilton também tentou atacar já nos primeiros metros de pista, mas ficou preso entre as Ferraris e se manteve em terceiro, pelo menos até o final da primeira volta.

Tricampeão, Max Verstappen ganha mais uma em 2023. Foto: Darron Cummings/ AP

O heptacampeão apertou o ritmo de sua Mercedes e chegou fácil em Carlos Sainz. Os dois carros da Ferrari não conseguiam acompanhar o ritmo dos primeiros colocados e, em menos de dez voltas, Hamilton já tinha ultrapassado os dois, pulando para segundo. Verstappen, que vinha escalando o grid, também entrou fácil entre os três primeiros.

Piastri também girava muito rápido na pista e saltou diversas posições com facilidade, mas precisou abandonar a corrida na volta 11 com problemas técnicos — minutos antes, o piloto tocou sua McLaren com a Alpine de Ocon, que também recolheu o carro mais cedo. Na frente, Lewis Hamilton apertava o ritmo para cima de Norris.

Acompanhando o ritmo forte na pista, a Red Bull antecipou o pit stop de Max Verstappen e chamou o tricampeão para o box na volta 17. O holandês foi o primeiro a parar em Austin e manteve os pneus médios, com estratégia de três paradas. Assim que voltou para a pista, o piloto rodou uma volta mais rápida atrás da outra.

Publicidade

O pit stop da Red Bull mexeu com as equipes. Ferrari e Mercedes começaram a se movimentar para evitar um undercut, mas não conseguiram evitar a chegada de Max. A equipe inglesa chegou a cogitar se Hamilton conseguiria manter o carro mais cinco voltas com o pneu da largada, mas o piloto pediu para ir ao box o quanto antes e perdeu sua posição para Verstappen.

Na volta 28, que marcava exatamente a metade da corrida, o que parecia inevitável finalmente aconteceu: Max ultrapassou Lando Norris numa freada tardia e assumiu a primeira posição. Lewis Hamilton, em terceiro, aproveitou a disputa para diminuir em quase 2s a vantagem do segundo, depois de um pit stop muito lento da Mercedes.

A McLaren tentou devolver a tática da Red Bull e chamou Norris mais cedo para o pit — o britânico trocou os pneus duros por um novo conjunto do mesmo composto. Só que a equipe de Verstappen agiu rápido e chamou o tricampeão para o box na volta seguinte, colocando um jogo de pneus duros para ir até o final da corrida.

Charles Leclerc, que assumiu provisoriamente a pole durante os pit stops, não aproveitou muito tempo na frente do grid e foi ultrapassado mais uma vez sem dificuldades por Verstappen e Norris. A tarde de domingo deixou claro para o piloto da Ferrari que o seu carro está muito distante do ritmo dos seus adversários. Ele chegou a ser ultrapassado por Carlos Sainz, seu companheiro de equipe, e Sérgio Pérez, da Red Bull.

Entre os pilotos que brigavam pela ponta, Hamilton era o único com pneus médios e aproveitou sua vantagem para apertar o ritmo. Volta a volta, o britânico foi diminuindo a vantagem de Lando Norris, até alcançar a ultrapassagem no mergulho da segunda curva. Assim que assumiu a segunda posição, Lewis soube pelo rádio: Verstappen lutava contra um problema nos freios da sua Red Bull.

O piloto da Mercedes apertou o ritmo para cima do holandês e chegou a ficar 1s atrás na última volta, mas já não tinha mais tempo para brigar pela vitória.

Confira a classificação final do GP dos EUA de F1

  1. Max Verstappen (HOL/Red Bull)
  2. Lando Norris (ING/McLaren), a 10s730
  3. Carlos Sainz (ESP/Ferrari), a 15s134
  4. Sergio Pérez (MEX/Red Bull), a 18s460
  5. George Russell (ING/Mercedes), a 24s999
  6. Pierre Gasly (FRA/Alpine), a 47s996
  7. Lance Stroll (CAN/Aston Martin), a 48s696.
  8. Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri), a 74s385
  9. Alexander Albon (TAI/Williams), a 86s714
  10. Logan Sargeant (EUA/Williams), a 87s998
  11. Nico Hulkenberg (ALE/Haas), a 89s904
  12. Valtteri Bottas (FIN/Alfa Romeo), a 98s601
  13. Zhou Guanyu (CHI/Alfa Romeo), 1 volta
  14. Kevin Magnussen (DIN/Haas), 1 volta
  15. Daniel Ricciardo (AUS/AlphaTauri), 1 volta

Publicidade

Não completaram a prova:

  • Fernando Alonso (ESP/Aston Martin)
  • Oscar Piastri (AUS/McLaren)
  • Esteban Ocon (FRA/Alpine)
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.