PUBLICIDADE

Publicidade

McLaren é favorita em Mônaco, diz Alonso

PUBLICIDADE

Por ALAN BALDWIN

O piloto Fernando Alonso, da Renault, não descartou uma possível terceira vitória seguida no Grande Prêmio de Mônaco, mas apontou sua ex-equipe, a McLaren, como a favorita para a prova do próximo fim de semana. "Nós temos sempre surpresas em Mônaco, alguns carros têm um melhor desempenho aqui do que em circuitos normais", disse o espanhol a jornalistas. Alonso ganhou no circuito do principado com a Renault, em 2006, e com a McLaren no ano passado. "Obviamente, temos confiança de que esta prova e esta corrida serão boas para nós, e também uma pequena oportunidade de lutar entre as principais equipes", acrescentou o bicampeão. "Em 2004, a Renault não estava em posição para ganhar corridas ou para lutar pelos pódios e conseguimos chegar em Mônaco. Trulli venceu a corrida e eu bati no túnel enquanto estava em segundo." "Se eu não tivesse batido, teríamos uma dobradinha da equipe em Monte Carlo. Com esperança, podemos repetir este tipo de coisa". O tricampeão Ayrton Senna, que reinou no circuito de rua de Mônaco entre os anos de 1989 e 1993, foi o único piloto a vencer por três vezes seguidas no glamouroso circuito da Fórmula 1. A Renault não ganha uma corrida desde 2006 e Alonso não aparece nos pódios desde que deixou a McLaren depois de uma amarga temporada. A Ferrari, atual campeã da categoria, ganhou as últimas quatro corridas, mas não ganha em Mônaco desde 2001, com Michael Schumacher. Alonso foi pole position e venceu a prova do ano passado, terminando na frente de seu companheiro de equipe, o inglês Lewis Hamilton. "Vendo como estamos neste ano, e como não estamos em um bom nível para lutar por vitórias, não podemos chegar aqui muito otimistas", continuou Alonso em tom de cautela. "Analisando também o desempenho da McLaren aqui no ano passado, eu acho que eles são os favoritos para este ano. Mas coisas estranhas podem acontecer, Mônaco é uma corrida completamente diferente e você só ganha quando termina a prova."

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.