PUBLICIDADE

Publicidade

Vídeo editado corta imagem da briga de Luxemburgo

Fita chega à delegacia sem principal momento do confronto com torcida em Congonhas

PUBLICIDADE

A cópia editada da fita entregue pela Infraero à Polícia Civil oculta o momento exato da briga entre o técnico Vanderlei Luxemburgo e integrantes da torcida Mancha Alviverde, na noite de sexta-feira passada, em Congonhas, antes do embarque do Palmeiras para o Rio. A Civil afirma que recebeu a cópia pronta e solicitará o restante do material. A administradora do aeroporto, porém, garante que disponibilizou todas as imagens do circuito interno de TV. Em lados opostos, o técnico e a organizada apostam na gravação para provar quem iniciou as agressões. O Estado teve acesso à gravação editada, de aproximadamente 10 minutos. As imagens da câmera 42 do aeroporto mostram pequenos grupos reunidos no saguão. Ao centro, 11 agentes do Garra e do Goe, solicitados pela própria segurança de Congonhas. Em seguida, a câmera mostra a entrada do saguão e apresenta um pequeno corte. Enquanto a confusão ocorre, a imagem mostra outros pontos, como a área externa. A imagem seguinte mostra o tumulto já contido, quando seguranças do Palmeiras chegam a acalmar policiais e torcedores - alguns, sócios do clube. De forma enérgica, o Goe expulsa alguns manifestantes. Luxemburgo aparece no vídeo apenas após o confronto, cercado por seguranças e policiais. Quatro pessoas saíram algemadas por desacato a autoridade, e três delas assinaram um termo circunstanciado. Luxemburgo ontem fez novo exame de corpo de delito, desta vez no Instituto Médico-Legal. Em seu depoimento, diz que a fratura no cotovelo direito foi causada por agressão. Testemunhas presentes no local dizem que o técnico se feriu ao errar um chute e ao cair sobre o braço. Antônio Carlos Catta-Preta, advogado do treinador, não confirma, mas diz que a atitude seria uma reação defensiva. "Na iminência de ser agredido, ele exerceu um direito natural, espontâneo." O advogado diz que os responsáveis serão processados por lesão corporal grave e formação de quadrilha. Uma pessoa que estava próxima ao tumulto diz que os torcedores cobravam atitude do time e provocaram a reação de Luxemburgo. Entre as testemunhas, serão ouvidos seguranças do clube para a identificação dos envolvidos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.