PUBLICIDADE

É falso que limão ou caldo de cana sejam eficazes contra a dengue

Vídeo engana ao afirmar que a ingestão dos alimentos elimina a carga viral e os sintomas da doença em poucas horas

Por Bernardo Costa

O que estão compartilhando: vídeo em que uma mulher afirma, sem apresentar provas, que a ingestão de um copo de 200ml com limão espremido e caldo de cana (50ml de hora em hora durante seis horas) eliminam a carga viral da dengue, fazendo desaparecer os sintomas da doença em poucas horas.

O Estadão Verifica apurou e concluiu que: é falso. Não há comprovação científica de que limão ou caldo de cana tenham eficácia contra a dengue. Médicos consultados pelo Estadão Verifica afirmam que, até o momento, não há nenhum medicamento antiviral contra a doença. O governo federal, assim como outras agências de checagem, mostraram serem falsas as afirmações feitas no vídeo.

Reprodução da postagem verificada Foto: Reprodução/Facebook

PUBLICIDADE

Saiba mais: o Estadão Verifica consultou o virologista Amilcar Tanuri, coordenador do Laboratório de Virologia Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro titular da Academia Brasileira de Ciências; o infectologista Marcos Antonio Cyrillo, diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI); e o virologista Flávio Fonseca, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Todos afirmaram que não há comprovação científica de que o limão ou o caldo de cana eliminam a carga viral da dengue.

Segundo Tanuri, ainda não há um antiviral com ação comprovada contra a doença. “Estas postagens de usar limão ou caldo de cana não têm prova nenhuma. Se você está com sintomas suspeitos de dengue, procure uma unidade de saúde pública ou privada perto de sua casa. Elas serão capazes de avaliar e dar o tratamento correto para os casos com sinais de gravidade, que consiste na hidratação venosa”, diz Tanuri.

O infectologista Marcos Cyrillo explica que o limão e a cana contêm flavonoides, substâncias que têm potencial anti-inflamatório. Porém, destaca Cyrillo, nenhum estudo científico comprovou, até o momento, sua eficácia na redução de carga viral. “Não existe uma comprovação científica, estudos bem delineados, com rigor científico, nem para o limão e nem para o caldo de cana. Essas afirmações transmitidas no vídeo são muito prematuras e não contam com estudos científicos que as corroborem”.

De acordo com Flávio Fonseca, o que o limão pode fazer é contribuir para o fortalecimento do sistema imunológico. Já o caldo de cana, para hidratar. Mas nenhum dos dois, afirma o virologista, é capaz de eliminar a carga viral da dengue e acabar com os sintomas da doença.

“O que há no limão é vitamina C, que ajuda a fortalecer a resposta imunológica. O caldo de cana vai hidratar. Mas não há ação contra o vírus, isso não existe. Para isso, teriam que agir diretamente na sua capacidade de replicação. Isso não fazem. Não existe nenhum medicamento, ou na farmácia ou caseiro, que vá tratar a dengue. Se a pessoa está com dengue, deve procurar o médico imediatamente”, alerta Fonseca.

Publicidade

Informação falsa pode prejudicar tratamento adequado

Tanuri chama atenção para o fato de a divulgação do falso tratamento com limão e caldo de cana prejudicar as pessoas já infectadas: “Esta informação pode atrasar a ida dos pacientes graves para as unidades de saúde, onde terão a terapia validada da hidratação venosa”.

Marcos Cyrillo também faz observação semelhante: “São informações sem consistência científica que podem ter um efeito deletério no comportamento das pessoas. Elas podem fazer o uso do limão e do caldo de cana e não procurar um atendimento médico adequado, o que pode piorar muito o quadro da dengue, levando até a morte”.

A Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República também desmentiu, na página #Brasilcontrafake, que o limão e o caldo de cana tenham eficácia contra a dengue. O mesmo fizeram as agências de checagem Fato ou Fake, do G1, Aos Fatos e Boatos.org.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.