PUBLICIDADE

Evento de Lula e Emmanuel Macron em Brasília não foi aberto ao público

Postagem no Instagram diz que cerimônia foi ‘esvaziada’ e questiona popularidade de Lula

Por Talita Burbulhan
Atualização:

O que estão compartilhando: vídeo de evento com o presidente Lula e o presidente da França, Emmanuel Macron, em Brasília. Legenda sobre as imagens diz que a cerimônia estava “esvaziada” que seria “nítida” a “má fase” na popularidade do presidente brasileiro.

O Estadão Verifica apurou e concluiu que: é enganoso porque o evento não foi aberto ao público. Notícias publicadas em diferentes veículos de comunicação avisaram que vias de acesso ao Palácio do Planalto ficariam bloqueadas ao longo do dia.

Ceromônia de recepção ao presidente da França em Brasília foi fechada ao público Foto: Reprodução/Instagram

PUBLICIDADE

Saiba mais: uma consulta à agenda do Presidente da República, no dia 28 de março, mostra que às 11h30 estava marcada uma cerimônia de recepção ao líder francês. Dias antes, o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos informou que, na data da recepção, as vias S1 e N1 de acesso ao Palácio do Planalto estariam interditadas a partir das 8h e que o trânsito seria liberado logo após evento.

Diversos veículos de comunicação informaram sobre o bloqueio das vias (Metrópoles, Correio Braziliense, Record, G1 e Jornal de Brasília).

Em nota enviada ao Estadão Verifica por e-mail, a Secretaria de Comunicação do governo (Secom) explicou que o evento realizado no Palácio do Planalto para recepcionar Macron contou com a presença de convidados e da imprensa e não foi aberto ao público. “Não houve qualquer chamamento para participação da população”, destaca.

O canal da Tv Brasil no Youtube fez a transmissão ao vivo da chegada de Macron na cerimônia. Nela é possível ver que as área do entorno estavam bloqueadas com cercas. Confira:

Transmissão o vivo da cerimônia de recepção à Emmanuel Macron permite ver que cercas impediam o acesso ao Palácio do Planalto. Foto: Reprodução/Youtube

Macron no Brasil

Macron fez um giro de três dias por quatro cidades brasileiras. Ele desembarcou em Belém na terça-feira, 26, viajou para Rio de Janeiro e São Paulo na quarta-feira, 27, e encerrou sua passagem pelo País no dia 28, em Brasília. A agenda bilateral envolveu temas na área de meio ambiente, povos indígenas, defesa e reforma dos organismos multilaterais, incluindo o assento permanente do Brasil no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.