PUBLICIDADE

Vídeo não mostra francesas brigando com muçulmanos; cena foi feita por dublês

Encenação faz parte de curso de formação de escola na França e não tem nenhuma relação com agressão sexual ou com repressão às roupas usadas pelas mulheres na imagem

Por Clarissa Pacheco

O que estão compartilhando: que três mulheres foram interceptadas em uma passagem subterrânea na França por homens muçulmanos que criticavam suas roupas, e que elas responderam à abordagem usando golpes de MMA.

O Estadão Verifica investigou e concluiu que: é enganoso. O vídeo mostra, na verdade, uma encenação feita por um centro de formação de dublês na França. O vídeo original foi gravado em em 31 de outubro de 2023 e postado na conta do Campus Univers Cascades (CUC) no Instagram em 2 de novembro deste ano.

Card CUC enganoso Foto: Arte/Estadão

PUBLICIDADE

Saiba mais: O mesmo vídeo viralizou em diferentes partes do mundo com alegações parecidas: a de que três mulheres conseguiram, usando golpes de artes marciais, derrotar um grupo de homens muçulmanos que as abordou em uma passagem subterrânea. Leitores pediram a checagem deste conteúdo ao Estadão Verifica pelo WhatsApp, no número (11) 97683-7490.

Na versão quer circulou pelo WhatsApp, as mulheres eram supostamente francesas, abordadas na rua por homens muçulmanos que criticavam suas roupas “inadequadas” — elas usam calças e camisetas que deixam braços, barriga e parte das costas descobertos, além do cabelo à mostra. Em outras publicações, as mulheres seriam israelenses atacadas por homens também muçulmanos. Há, ainda, versões que afirmam que os homens do vídeo tentaram violentar as mulheres.

Sigla aparece em casacos dos homens

O primeiro passo para identificar a origem das imagens foi fazer uma busca reversa (aprenda aqui a usar essa ferramenta) por frames que mostravam elementos de destaque no vídeo, como as roupas. Os homens usam casacos pretos com as letras “CUC”. O Verifica fez uma busca associando a imagem à sigla e chegou até a conta no Instagram do Campus Univers Cascades (CUC), que fica em Le Cateau-Cambrésis, no norte da França.

O CUC foi fundado em 2008 e é um centro de formação profissional de dublês para cinema e outros espetáculos, como diz o site oficial da instituição. Também segundo o site, a equipe atual é formada por 17 instrutores experientes que são dublês de atores como Vincent Cassel, Jean Reno e Kevin Costner. A equipe também já participou de filmes e séries como John Wick, Wandinha, Lupin, Dunkirk e Jogos Vorazes.

Na postagem oficial no Instagram, não há legenda detalhando a ação, mas há hashtags como #cinema e #choregraphy. Nos comentários, seguidores alertaram a página de que o vídeo estava sendo usado para espalhar desinformação.

Publicidade

A imagem que viralizou nas redes inclui uma inscrição em hebraico sobreposta à cena, seguida de um número que leva a um grupo de WhatsApp. Uma busca pelos caracteres sobre a imagem indica uma página do Telegram chamada Israel News, que postou o vídeo no dia 14 de novembro, já utilizando uma legenda falsa: de que a cena mostrava três mulheres francesas dizendo a 10 homens muçulmanos que as roupas delas eram “completamente razoáveis”.

Procurado pelo Estadão Verifica, o CUC informou que o vídeo mostra um treinamento com dublês profissionais e em formação como parte de um exercício sobre o tema “briga de rua”, e foi gravado nas dependências do próprio CUC em 31 de outubro deste ano.

“Lamentamos que nosso vídeo tenha sido desviado e mal interpretado. Não toleramos essa apropriação indevida e posso confirmar que esse vídeo não passa de uma encenação”, disse, em nota, o diretor do Campus Univers Cascades, Lucas Dollfus.

Este conteúdo também foi checado pela agência indiana Factly e pelo site espanhol Newtral.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.