PUBLICIDADE

O que é Mensa, sociedade para quem tem QI alto na qual a criança de 2 anos Isla McNabb foi admitida

Para entrar na organização, é preciso ter um quociente de inteligência mais alto do que 98% da população em geral

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Em um feito notável — que chegou a ser registrado no Guinnes Book —, a norte-americana Isla McNabb, aos 2 anos de idade, tornou-se a pessoa mais jovem a ingressar em uma renomada sociedade de QI elevado. Isla, que hoje tem 4 anos, entrou para a Mensa, a maior e mais antiga organização para pessoas brilhantes, que conta com 150 mil membros em mais de 90 países em todo o mundo.

O “clube de gênios” foi fundado na Inglaterra em 1946 por um advogado chamado Roland Berrill e por Lance Ware, cientista e advogado. A organização foi batizada desta forma pois “mensaé mesa em latim, e o objetivo era funcionar como uma mesa redonda, sem relevância para fatores como etnia, religião, nacionalidade ou política — basta, “apenas”, ter um QI mais alto do que 98% da população em geral.

PUBLICIDADE

Essa admissão é realizada por meio de testes de QI realizados com profissionais. Na Europa, de acordo com a Mensa Brasil, a organização administra seus próprios testes, enquanto em países como os Estados Unidos utilizam testes padronizados, referendados pelos órgãos regulamentadores locais.

Hoje, em todo o mundo, são 150 mil membros, espalhados por 90 países. Segundo a Mensa, há membros entre 2 e mais de 100 anos, mas a maioria tem entre 20 e 60 anos. No Brasil, a organização, que foi fundada em 2002 em solo brasileiro, conta com 1,4 mil pessoas.

De acordo com mapeamento da Mensa Brasil divulgado em agosto do ano passado, São Paulo lidera o total de pessoas identificadas no Brasil como superdotadas, com 984 superinteligentes. Em seguida, estão Rio de Janeiro, com 229 pessoas, Distrito Federal, com 135, Paraná, com 134, e Rio Grande do Sul, com 94. Em contrapartida, Acre, Rondônia e Amapá não têm nenhum superdotado.

Dentre esses 150 mil membros, a sociedade diz ter os mais variados perfis de gênios, incluindo pessoas em profissões comuns, como motoristas, agricultores, cantores e policiais.

Há membros famosos, como a ganhadora de Oscar e de um Globo de Ouro Geena Davis e o vocalista da banda nacional Ultraje a Rigor, Roger Moreira, mas a grande maioria são ”apenas pessoas comuns com QI extraordinários que tendem a ser muito curiosos, rápidos em compreender conceitos e com interesses muito variados”, descreve a Mensa.

Publicidade

A atriz Geena Davis, ganhadora de um Oscar e de um Globo de Ouro, está entre os 150 mil membros da Mensa em todo o mundo. Foto: REUTERS/Allison Dinner

O que faz a Mensa?

A entidade tem três objetivos principais, que são identificar e promover a inteligência humana em benefício da humanidade; estimular pesquisas sobre a natureza, características e usos da inteligência; e prover um ambiente intelectual e socialmente estimulante para seus associados.

Na prática, os membros se reúnem em um ambiente que promove tanto a interação social quanto o desenvolvimento intelectual e participam de uma série de atividades, como palestras, debates, periódicos e grupos de interesses especiais.

A organização também propõe a investigações das opiniões e atitudes dos membros e dá assistência a pesquisadores, dentro e fora da Mensa, em projetos que tratam de inteligência ou da Mensa./Com Agência Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.