Eleições na Rússia devem medir opinião nacional sobre guerra contra Ucrânia

Analistas políticos, bem como a oposição amplamente dispersa da Rússia, descrevem as eleições como um plebiscito sobre a guerra na Ucrânia

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

Não se espera que as eleições presidenciais russas de 2024 tragam mudanças ao Kremlin. Com a maioria das figuras da oposição na prisão ou no exterior, e muitos meios de comunicação independentes bloqueados, o Kremlin mantém um rígido controle sobre o sistema político do país. Já está praticamente garantido que a votação de março vai levar o presidente Vladimir Putin, de 71 anos, a consolidar o seu lugar no poder até pelo menos 2030.

Analistas políticos, bem como a oposição amplamente dispersa da Rússia, descrevem as eleições como um plebiscito sobre a guerra na Ucrânia, que Putin lançou há dois anos.

Como funciona a votação nas eleições presidenciais de 2024 na Rússia?

Pessoas caminham em frente a uma tela de TV que mostra o presidente russo Vladimir Putin durante seu discurso anual sobre o estado da nação em Sevastopol, Crimeia, terça-feira, 21 de fevereiro de 2023.  Foto: AP

PUBLICIDADE

Em fevereiro de 2024, o comitê eleitoral central da Rússia afirmou que cerca de 112,3 milhões de pessoas eram elegíveis para votar na Rússia e nas áreas da Ucrânia ocupadas pelo país. A participação nas últimas eleições presidenciais da Rússia, em 2018, foi de 67,54%, embora observadores eleitorais tenham relatado violações generalizadas, incluindo votação forçada. Nas eleições parlamentares de 2021 do país, a participação eleitoral foi de 51,7%.

A votação na Rússia e nas regiões anexadas da Ucrânia será realizada em grande parte nas assembleias de voto durante três dias, entre 15 e 17 de março, e esta é a primeira eleição presidencial na Rússia em que as urnas estarão abertas durante três dias em vez de um. As autoridades russas empregaram pela primeira vez a votação de vários dias no referendo de 2020 que Putin orquestrou para promover uma reforma constitucional que lhe permitiria concorrer a mais dois mandatos. No entanto, esta será a primeira vez que a votação de vários dias será utilizada numa votação presidencial.

Será também a primeira eleição presidencial em que os eleitores poderão votar online, com a votação eletrônica implementada em 29 regiões. Observadores eleitorais independentes criticaram amplamente o prolongamento da votação por vários dias e a permissão da votação online, dizendo que são táticas para dificultar ainda mais a transparência do processo eleitoral. Grupos de oposição em 2021 disseram que os votos digitais nas eleições parlamentares do país mostraram sinais de manipulação.

A votação também terá lugar na Crimeia e nas quatro regiões do sudeste do país que a Rússia anexou após lançar a invasão em grande escala em 2022 - embora as forças russas não controlem totalmente qualquer um dos quatro locais.

Quem está concorrendo nas eleições presidenciais de 2024 na Rússia?

Militares de diferentes unidades da Guarda Nacional Ucraniana participam de um treinamento militar em um campo de tiro perto de Kharkiv, na Ucrânia, em 29 de fevereiro de 2024, em meio à invasão russa.  Foto: SERGEY KOZLOV / EFE

O presidente russo, Vladimir Putin, concorrerá às eleições como candidato independente. É quase certo que ele garantirá seu quinto mandato enquanto enfrenta um trio de candidatos simbólicos.

Publicidade

Os outros candidatos nomeados pelos partidos amigos do Kremlin representados no parlamento são Nikolai Kharitonov do Partido Comunista, Leonid Slutsky do nacionalista Partido Liberal Democrata e Vladislav Davankov do Novo Partido Popular.

Todos apoiam amplamente o Kremlin e as suas políticas, incluindo a invasão da Ucrânia. Eleições anteriores mostraram que é pouco provável que tais candidatos obtenham votos suficientes para constituir um verdadeiro desafio a Putin. Na votação presidencial de 2018, o vice-campeão, do Partido Comunista, obteve 11,8% dos votos, em comparação com os 76,7% de Putin.

Entretanto, a maioria das figuras da oposição que poderia ter desafiado Putin foi presa ou exilada no exterior. Na semana passada, o mais conhecido líder da oposição russa, Alexei Navalni, cuja tentativa de concorrer contra Putin em 2018 foi rejeitada, morreu subitamente na prisão enquanto cumpria uma pena de 19 anos por acusações de extremismo. /AP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.