PUBLICIDADE

EUA: ataque com drone de milícia apoiada pelo Irã mata soldados americanos no Oriente Médio

Foi a primeira vez que militares dos Estados Unidos morreram por fogo inimigo desde que a guerra em Gaza elevou a tensão na região

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O ataque a drone lançada por uma milícia apoiada pelo Irã matou pelo menos 3 soldados americanos e feriu mais 25 na Jordânia, perto da fronteira com a Síria, informaram os Estados Unidos neste domingo, 28. Foi a primeira vez que militares dos EUA morreram por fogo inimigo desde que a guerra em Gaza elevou a tensão no Oriente Médio.

PUBLICIDADE

“Embora ainda estejamos reunindo as informações sobre o ataque, sabemos que foi conduzido por grupos radicais apoiados pelo Irã que operam na Síria e no Iraque”, afirmou o presidente Joe Biden ao lamentar as mortes em nota. “Não tenham dúvidas: os culpados serão responsabilizados quando e como nós decidirmos”, concluiu.

Ele foi informado sobre o ataque na manhã deste domingo, segundo a secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre.

Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Foto: AP / Jacquelyn Martin

Os nomes dos soldados foram omitidos até que as famílias sejam avisadas, informou o Washington Post. As autoridades americanas tentam entender porque a defesa aérea da base falhou e ainda não se sabe de que país partiu o ataque, que ameaça elevar ainda mais a tensão na região.

A Resistência Islâmica no Iraque, grupo que está no guarda-chuva de milícias apoiadas pelo Irã, assumiu a responsabilidade. “Se os EUA continuarem a apoiar Israel, haverá escaladas. Todos os interesses dos EUA na região são alvos legítimos e não nos importamos com as ameaças de resposta dos EUA”, disse um integrante do grupo ao Washington Post sob condição de anonimato.

Até o momento, a Jordânia ainda não se manifestou. O reino faz fronteira com Arábia Saudita, Iraque, Israel e Síria, além do território palestino da Cisjordânia. E abriga bases americanas, que concentram cerca de 3 mil soldados.

Os Estados Unidos são o principal aliado de Israel, que trava uma guerra contra os terroristas do Hamas na Faixa de Gaza. Desde o início do conflito, as tropas dos EUA no Iraque e na Síria foram alvo de quase 160 ataques, que incluíram foguetes, mísseis e drones. Até agora, no entanto, nenhum soldado americano havia morrido e ainda não está claro como Washington vai responder.

Publicidade

Nas últimas semanas, Washington passou a enfrentar também os rebeldes Houthis, financiados pelo Irã. A milícia, que atua no Iêmen ameaça a rota do Mar Vermelho, fundamental para o comércio global, com ataques a navios. No domingo passado, o Pentágono confirmou a morte de dois Navy SEALs, a tropa de elite da marinha americana, que desapareceram no mar durante uma operação para interceptar armas iranianas enviadas para o grupo./Com informações de AP, NY Times e Washington Post

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.