PUBLICIDADE

Índia tentará escavação manual para libertar 41 trabalhadores presos há mais de 2 semanas em túnel

Um especialista internacional que ajuda a equipa de resgate disse que estava confiante de que os trabalhadores estariam de volta com as suas famílias até ao Natal, indicando uma operação longa

Foto do author Redação
Por Redação

As autoridades da Índia disseram nesta segunda-feira, 27, que devem começar a escavação manual do que esperavam ser a fase final do resgate dos 41 trabalhadores da construção civil presos em um túnel montanhoso que desabou no norte do país há mais de duas semanas.

PUBLICIDADE

As equipes de resgate começaram a perfurar verticalmente – um plano alternativo para escavar horizontalmente pela frente – com uma máquina de perfuração recém-substituída escavando cerca de 32 metros, segundo autoridades.

Devendra Patwal, funcionário de gestão de desastres no local, disse que eles estavam preparados para todos os tipos de desafios, mas esperavam não enfrentar forte resistência da montanha. “Não sabemos o que a furadeira terá que cortar. Pode ser solo solto ou pedras. Mas estamos preparados”, afirmou.

Até agora, as equipes de resgate escavaram e inseriram tubos – depois de cavar horizontalmente – de até 46 metros, soldados entre si para servir de passagem de onde os homens seriam retirados em macas com rodas.

A máquina de perfuração quebrou repetidamente devido ao terreno montanhoso da área e foi danificada irreparavelmente na sexta-feira, 24, precisando ser substituída. As equipes de resgate trabalharam durante a noite para retirar partes da furadeira presas dentro dos canos para que a escavação manual pudesse começar, disse Patwal.

Luzes iluminam a entrada do túnel enquanto as operações de resgate continuam noite adentro. Foto: REUTERS/Francis Mascarenhas

Os trabalhadores estão presos desde 12 de novembro, quando um deslizamento de terra no Estado de Uttarakhand fez com que uma parte do túnel de 4,5 quilômetros que eles estavam construindo desabasse a cerca de 200 metros da entrada.

A escavação vertical, que começou no domingo, 26, exigiu que as equipes de resgate escavassem cerca de 106 metros. O comprimento é quase o dobro dos aproximadamente 60 metros que eles precisam para cavar horizontalmente pela frente.

Publicidade

Eles também poderiam enfrentar riscos ou problemas semelhantes aos encontrados anteriormente, que danificaram a primeira máquina de perfuração que tentava cortar rochas. As vibrações de alta intensidade da perfuração também podem causar a queda de mais detritos.

À medida que a operação de resgate entrava no seu 16º dia, a incerteza sobre o seu destino tem aumentado. Alguns moradores fizeram orações hindus perto do túnel.

O que começou como uma missão de resgate que deveria durar alguns dias se transformou em semanas, e as autoridades ainda hesitam em fornecer um cronograma.

PUBLICIDADE

Algumas autoridades estavam esperançosas de que a missão de resgate fosse concluída na semana passada. No entanto, Arnold Dix, um especialista internacional que ajuda a equipa de resgate, disse aos jornalistas que estava confiante de que os trabalhadores estariam de volta com as suas famílias até ao Natal, sugerindo que estavam preparados para uma operação mais longa.

A maioria dos trabalhadores presos são trabalhadores migrantes de todo o país. Muitos familiares viajaram para o local, onde acamparam durante dias para obter atualizações sobre o esforço de resgate e na esperança de ver seus parentes em breve.

Pessoas rezam pelo retorno seguro dos trabalhadores que ficaram presos no desabamento do túnel no norte da Índia.  Foto: REUTERS/Francis Mascarenhas

As autoridades forneceram aos trabalhadores presos refeições quentes através de um cano de 15 centímetros, após vários dias de sobrevivência apenas com comida seca enviada através de um cano mais estreito. O oxigénio também está sendo fornecido através de um tubo separado, e mais de uma dúzia de médicos, incluindo psiquiatras, estiveram no local monitorando a saúde dos trabalhadores.

O túnel que os operários estavam construindo foi projetado como parte da estrada para todos os climas de Chardham, que conectará vários locais de peregrinação hindu. Alguns especialistas dizem que o projeto, uma iniciativa emblemática do governo federal, irá agravar as condições de fragilidade no alto Himalaia, onde várias cidades são construídas sobre escombros de deslizamentos de terra./Associated Press.

Publicidade

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.