PUBLICIDADE

Guarda Revolucionária iraniana assume autoria por ataque de mísseis e drones a Israel

Segundo o exército militar paralelo, a agressão aconteceu em resposta aos ataques israelenses à embaixada do Irã em Damasco e à morte de militares iranianos na Síria

Por Isabela Moya
Atualização:

O Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica do Irã disse, em comunicado transmitido pela televisão estatal, que lançou ataque com mísseis e drones contra Israel.

PUBLICIDADE

“A unidade aeroespacial da Guarda Revolucionária atacou alvos em Israel com dezenas de drones e mísseis em reação aos crimes do regime sionista, incluindo o ataque à seção do consulado da embaixada do Irã em Damasco e o martírio de nossos comandantes e conselheiros militares na Síria”, afirmou.

A mídia iraniana afiliada à Guarda Revolucionária, a Tasnim, uma agência de notícias semioficial, informou que a Guarda Revolucionária Iraniana havia lançado ataques contra Israel “de todas as direções” e que dezenas de drones do Irã “foram lançados contra alvos em territórios ocupados”.

Ali Khamenei, líder supremo do Irã, disse, em sua conta no X (antigo Twitter), que “o regime sionista maligno será punido”.

A Guarda Revolucionária lançou mísseis e drones contra Israel neste sábado, 13. Foto: Vahid Salemi/VAHID SALEMI

Os Guardiães da Revolução Islâmica do Irã, conhecidos como Guarda Revolucionária, diferentemente das forças armadas tradicionais do Irã, é um exército paralelo. Formado durante a Revolução Islâmica, em 1979, ele protege o regime fundamentalista do Irã.

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, afirmou que o país irá se defender do ataque.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.