PUBLICIDADE

Análise|Morte de Navalni amplia desafios da enfraquecida oposição da Rússia na luta contra Putin

Embora dissidente nunca tenha unido os diferentes grupos anti-Putin em torno de si, seu status de liderança os influenciou ao longo dos anos

Atualização:

THE NEW YORK TIMES - As notícias sobre a morte de Alexei Navalni ameaçam dar um grande golpe no já marginalizado movimento de oposição da Rússia. A escalada da repressão, as rivalidades internas e o nacionalismo dos tempos de guerra já haviam deixado a oposição à deriva e lutando para influenciar os rumos do país.

PUBLICIDADE

Dentro da constelação em constante mudança dos grupos de oposição russos, Navalni era uma figura imponente, uma voz internacionalmente reconhecida de dissidência ao governo do presidente Vladimir Putin e alguém com uma rede política inigualável.

Embora Navalni nunca tenha unido os diferentes grupos de oposição da Rússia em torno de si - e seus colaboradores mais próximos tenham rejeitado, em grande parte, alianças formais - seu status de oponente mais proeminente de Putin moldou a oposição organizada durante anos. A influência de Navalni ainda era sentida mesmo depois que ele desapareceu da arena pública após sua prisão há três anos.

Apoiadores deixam velas, flores e uma foto do ativista russo Alexei Navalni, que morreu nesta sexta-feira, 16, ao lado da embaixada da Rússia em Riga, Letônia  Foto: Toms Kalnins/EFE

A alegação do governo russo na sexta-feira, 16, de que Navalni havia morrido na prisão deixa a oposição sem um líder óbvio. “Seria impossível que alguém se tornasse o Navalni 2.0 na Rússia de hoje”, disse Ben Noble, cientista político da University College London, coautor de um livro sobre Navalni. “Estamos lidando com um sistema político muito diferente hoje”.

Navalni ganhou destaque no início da década de 2010, quando Putin ainda permitia um certo grau de competição política, apostando mais na melhoria dos padrões de vida do que na dependência da repressão. Navalni combinou habilmente o uso da mídia social com campanhas tradicionais, organização política e carisma pessoal para construir uma rede nacional de escritórios e uma máquina de mídia política.

Essas condições não existem mais, disse Noble. A mídia é rigidamente controlada, os protestos foram criminalizados e qualquer crítica à linha oficial do Kremlin corre o risco de ser condenada à prisão.

O ativista russo Alexei Navalni morreu na penitenciária que estava detido no Ártico russo, segundo as autoridades Foto: Yuri Kochetkov/EFE

Oposicionistas presos

Dezenas de ativistas políticos estão presos, incluindo sete membros da equipe jurídica ou política de Navalni, de acordo com seu porta-voz. As figuras mais expressivas da oposição russa foram forçadas ao exílio, onde estão usando o YouTube para alcançar o público dentro da Rússia; no entanto, suas vozes foram amplamente marginalizadas pela onipresença da propaganda do Kremlin.

Publicidade

Sua mensagem também foi diluída por rivalidades pessoais. A equipe de assessores exilados de Navalni, por exemplo, tem entrado em conflito frequente com outra figura proeminente da oposição, Maxim Katz, sobre estratégia política e acusações pessoais em trocas cada vez mais bizantinas nas mídias sociais.

A decisão de um político antiguerra, Boris Nadezdhin, de concorrer contra Putin nas eleições do próximo mês acalmou as disputas internas. Os grupos de oposição mais proeminentes, incluindo a equipe de Navalni, apoiaram sua candidatura.

Apesar das restrições draconianas em tempos de guerra, mais de 100 mil russos adicionaram suas assinaturas em apoio à candidatura de Nadezhdin, energizando um movimento de oposição que tem lutado para se conectar com os eleitores desde a invasão da Ucrânia pela Rússia. (A agência eleitoral controlada pelo governo contestou algumas das assinaturas que Nadezdhin teve de coletar para se registrar, o que provavelmente pôs fim à sua candidatura).

Alguns especialistas advertem que a ascensão de Nadezdhin à proeminência reflete o desejo dos russos de registrar a oposição à guerra, e não o apoio à sua candidatura. Nadezhdin, ex-legislador, era desconhecido pela maioria dos russos até este ano.

PUBLICIDADE

A morte de Navalni, que seus assessores não confirmaram imediatamente, causou uma onda de solidariedade por parte das figuras da oposição russa. “Alexei é uma das pessoas mais talentosas e corajosas que já conheci”, disse Nadezhdin em um post no Telegram sobre as notícias da morte de Navalni.

O senso de unidade entre a oposição pode não durar muito, segundo Noble. “Não consigo imaginar que a morte de Navalni os levará a superar suas diferenças ideológicas e disputas pessoais”, disse ele.

Este conteúdo foi traduzido com o auxílio de ferramentas de Inteligência Artificial e revisado por nossa equipe editorial. Saiba mais em nossa Política de IA.

Publicidade

Análise por Anatoly Kurmanaev
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.