PUBLICIDADE

Avião dos EUA está há dez dias preso em baía após ultrapassar uma pista e pousar na água; assista

Aeronave derrapou quando chegava em uma base da Marinha e caiu em águas de baixa profundidade no dia 20 de novembro; havia nove pessoas a bordo, e ninguém ficou ferido

Foto do author Redação
Por Redação

Um grande avião da Marinha dos Estados Unidos está preso em uma baía no Havaí há mais de 10 dias, depois de ultrapassar uma pista e pousar na água. Um vídeo divulgado nesta semana pelas autoridades norte-americanas, que ainda tentam descobrir como remover a aeronave, mostra que os pneus estão apoiado em um recife de corais.

PUBLICIDADE

Bove pessoas estavam a bordo quando o avião pousou em 20 de novembro em águas rasas perto da costa da Base do Corpo de Fuzileiros Navais do Havaí, na Baía de Kaneohe, e ninguém ficou ferido. A base fica a cerca de 16 quilômetros de Honolulu. A Marinha está investigando o que fez com que o avião ultrapassasse a pista.

As imagens subaquáticas mostram “os dois pontos de contato que a aeronave tem com o coral e o restante da aeronave flutuando acima”, disse a Marinha. O vídeo mostra pneus no coral enquanto pequenos peixes nadam em fendas nas rochas.

O comandante Mark Anderson, que lidera a unidade móvel de mergulho e salvamento da Marinha que trabalha no local, disse que o avião estava pousado em uma mistura de coral e areia. O motor esquerdo está apoiado em coral. O avião sobe um pouco com a maré, então todo o peso do avião não recai sobre o coral, disse ele na segunda-feira.

Uma equipe da Marinha removeu quase todos os estimados 2 mil galões de combustível do avião na segunda-feira, 27. A remoção do combustível reduzirá os riscos para o resto da operação de salvamento, segundo as autoridades envolvidas.

A Marinha dos EUA disse que as imagens subaquáticas mostram dois pontos onde o avião toca os corais na baía do Havaí.  Foto: U.S. Navy via AP

A Baía de Kaneohe abriga recifes de coral , um antigo viveiro de peixes havaiano e um criadouro de tubarões-martelo. O diretor executivo do Sierra Club do Havaí, Wayne Tanaka, disse que o vídeo ressalta possíveis danos ao recife.

“Isso confirma o que sabemos: temos um avião a jato pousado em um recife de coral”, disse ele. “Não sabemos o quanto ele se moveu, o quanto poderia se mover.” As autoridades ambientais estaduais esperam realizar uma avaliação dos danos assim que o avião for removido./Associated Press.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.