PUBLICIDADE

Arm mira avaliação de até US$ 55 bilhões com aportes de Apple, Google, Nvidia e Intel

Fabricante de chips promete alavancar mercado de tecnologia no mercado público de ações

Foto do author Guilherme Guerra
Por Guilherme Guerra
Atualização:

A fabricante de chips Arm, propriedade do grupo japonês SoftBank, planeja reabrir capital na Bolsa dos Estados Unidos com avaliação de mercado entre US$ 50 e US$ 55 bilhões, afirmam fontes anônimas ao jornal americano Wall Street Journal na última sexta-feira, 1.º. O IPO promete realavancar o mercado de tecnologia, que vive um mau período nos últimos meses.

O valor é inferior aos US$ 64 bilhões bancados pelo Softbank para comprar a Arm integralmente a partir de US$ 100 bilhões do fundo Vision Fund. Em 2016, o SoftBank pagou US$ 32 bilhões pelo negócio, que era avaliado na Bolsa.

PUBLICIDADE

Em setembro de 2020, o grupo japonês tentou vender o negócio para a rival Nvidia por US$ 40 bilhões. Mas órgãos de regulação concorrencial barraram o acordo, o que forçou a abertura de capital da Arm.

Além disso, um time de pesos pesados da indústria de tecnologia pretende entrar no negócio da Arm: Apple, Nvidia, Google, AMD, Intel, Samsung, Cadence e Synopys, segundo fontes revelaram à agência de notícias Reuters. Os aportes podem ser de US$ 25 milhões a US$ 100 milhões de cada empresa, o que tornaria o IPO da Arm um sucesso no mercado.

Segundo a Reuters, inicialmente interessada no IPO, a Amazon preferiu ficar de fora do negócio.

O interesse dessas empresas no negócio da Arm é se estreitar relações com a fabricante, evitar que concorrentes se aproximem do negócio e, no longo prazo, evitar que a companhia seja comprada no futuro.

Ao todo, o SoftBank e a Arm planejam colocar 10% da companhia à disposição para que clientes comprem as ações.

Publicidade

Arm é um dos principais nomes na fabricação de semicondutores do mundo, com estratégia 'neutra' no mundo dos negócios Foto: Dado Ruvic/Reuters

Quem é a Arm?

Fundada há 33 anos, a Arm é um dos nomes mais importantes da indústria de semicondutores do mundo, conhecida pela posição “neutra” ao fechar negócio com empresas tidas como rivais. Companhias como Apple, Qualcomm e AMD usam seus chips para seus produtos.

A tecnologia desenvolvida pela Arm, com alta eficiência energética, foi responsável pela alavancagem dos smartphones e está presente desde o lançamento do primeiro iPhone, em 2007. Além disso, seus chips são encontrados em outros produtos, como eletrodomésticos e automóveis.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.