Facebook e Ray-Ban se aliam para lançar óculos inteligentes em 2021

Parceria deve resultar em um dispositivo de realidade aumentada e foi anunciada no Facebook Connect, evento dedicado também à a realidade virtual; na ocasião, a rede social mostrou novo dispositivo de realidade virtual, o Oculus Quest 2

Por Redação Link
Atualização:
O Facebook ainda não revelou detalhes sobre os óculos inteligentes em parceria com a Ray-Ban, mas a empresa já tem protótipos Foto: Facebook

O Facebook anunciou nesta quarta-feira, 16, suas novidades na área de realidade virtual e realidade aumentada durante o evento Facebook Connect. O principal destaque ficou por conta do anúncio de uma parceria com a tradicional marca de óculos Ray-Ban: juntas, as duas empresas devem lançar um par de óculos de realidade aumentada em 2021.

PUBLICIDADE

Além disso, a empresa também aproveitou o evento – que neste ano foi apenas virtual – para revelar o Oculus Quest 2, seu novo dispositivo de realidade virtual. O aparelho tem previsão de chegar ao mercado americano em outubro, com preço inicial de US$ 300.

De acordo com o site The Verge, os óculos inteligentes do Facebook e da Ray-Ban devem se parecer com o os Spectacles, do Snapchat, sem nenhum tipo de tela integrada. 

“Depois de passar um tempo com a equipe (da Luxottica, dona da marca Ray-Ban) e visitar sua fábrica, percebi que a empresa era o parceiro certo”, disse Mark Zuckerberg, presidente executivo do Facebook, na conferência desta quarta. "Não posso entrar em detalhes completos do produto ainda, mas eles serão o próximo passo no caminho para os óculos de realidade aumentada", afirmou o executivo. 

O Oculus Quest 2 chega em outubro nos EUA por US$ 300 Foto: Facebook

Lançamento do Oculus Quest 2 aposenta o Rift S

Com a chegada do Oculus Quest 2, o Facebook vai parar de vender o modelo antigo Oculus Rift S. Segundo o Facebook, o novo dispositivo terá tela mais nítida, com resolução 50% maior do que antes. Além disso, o Oculus Quest 2 promete ser duas vezes mais potente em processamento que o seu antecessor — o aparelho é equipado com o Snapdragon XR2, da Qualcomm. O dispositivo é um pouco menor que a primeira versão, e é também US$ 100 mais barato.

O Facebook aposta na junção realidade virtual e aumentada como a próxima grande plataforma de computação – foi algo que Mark Zuckerberg disse em entrevista ao Estadão, em setembro de 2019. A aposta, no entanto, é de longa data: a rede social comprou a empresa de realidade virtual Oculus em 2014. 

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.