PUBLICIDADE

Nova versão do Kindle Paperwhite chega ao Brasil com proteção à prova d’água

Tecnologia de proteção torna o Kindle Paperwhite, modelo intermediário da empresa, mais parecido com a linha de luxo Oasis

Por Giovanna Wolf
Atualização:
Onovo Kindle Paperwhite é capaz de resistir a mergulhos em até dois metros de água doce por até 60 minutos Foto: Amazon

A Amazon lança nesta quinta-feira, 7, a nova versão do Kindle Paperwhite, o modelo intermediário do leitor eletrônico da empresa. Pela primeira vez, um Kindle Paperwhite terá proteção à prova d’água – até então, só o modelo premium, o Kindle Oasis, podia acompanhar o usuário em uma leitura “refrescante” na piscina. O produto está disponível no site da Amazon e em alguns varejistas, sendo que o preço do modelo de 8 GB é R$ 499 e o de 32 GB é R$649. 

PUBLICIDADE

Segundo a Amazon, o novo Kindle Paperwhite é capaz de resistir a mergulhos em até dois metros de água doce por até 60 minutos – na classificação IPX8. “Fizemos as mudanças pensando no conforto do leitor”, afirmou Jacques Benain, gerente-geral de dispositivos da Amazon no Brasil, durante a apresentação do produto. 

O aparelho é ligeiramente mais leve e mais fino que a versão anterior, bem como tem maior armazenamento – o modelo do Kindle Paperwhite tinha apenas 4GB de memória interna. Outra novidade é o reforço na iluminação, com mais uma fonte de luz LED – o que deixa a experiência de leitura no visor eletrônico mais próxima do papel. A iluminação, vale lembrar, é o que diferencia o Kindle Paperwhite da versão mais básica do aparelho, chamada simplesmente de Kindle e vendida no Brasil por R$ 299. 

A nova versão do Kindle Paperwhite, porém, segue tendo apenas conectividade Wi-Fi – nos EUA, há ainda uma versão habilitada com 3G, um pouco mais cara que a normal. Segundo Benain, é uma funcionalidade que tem baixa adesão no mercado brasileiro. “O aumento do preço com o 3G não é reconhecido como algo positivo pelos consumidores”, explicou o executivo. 

Recursos. Em termos de usabilidade, o aparelho também traz novas opções de fontes para leitura – cabe ao usuário escolher sua favorita. O menu inicial do dispositivo também se tornou mais personalizado ao gosto do consumidor, incluindo recomendações de livros e listas de lançamentos. O Kindle Paperwhite também segue tendo pesquisa inteligente, dicas de vocabulário e inversão do fundo branco para preto. 

Os usuários que comprarem o aparelho no primeiro de vendas terão ainda acesso gratuito por três meses ao Kindle Unlimited, serviço de assinatura mensal de leitura da Amazon. Hoje, a subscrição à plataforma custa R$ 19,90 por mês e dá acesso a uma biblioteca de 1,5 milhões de livros – sendo 50 mil deles em português. 

Mercado. O livro eletrônico da Amazon já está em sua décima geração – no Brasil, o Kindle é vendido há seis anos. Toda vez que um modelo é lançado, há a mesma pergunta: será que o livro digital vai acabar com seu homônimo de papel? 

Publicidade

Para Benain, cada tipo de livro tem seu espaço no mercado. “Cabe ao leitor escolher”, disse ao Estado. Ele ainda isentou o livro eletrônico de responsabilidade na crise vivida pelo mercado editorial brasileiro. “Não é algo que tem sido um fator na crise das livrarias”, acredita o executivo da Amazon, que também vende livros físicos no País. 

*É estagiária, sob supervisão do editor Bruno Capelas

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.