PUBLICIDADE

Mudança começou com o celular

Por Filipe Serrano
Atualização:

Cinco dias depois de o iPad começar a ser vendido nos EUA, a Apple revelou uma atualização essencial para resolver uma das críticas mais antigas do iPhone – e que continuava no iPad. Os dois aparelhos não têm capacidade de rodar mais de um aplicativo ao mesmo tempo, impedindo a pessoa por exemplo de receber uma chamada do Skype sem deixar o programa de telefonia via web aberto em primeiro plano.

PUBLICIDADE

Não tinham. A atualização do sistema (o iPhone OS 4), apresentada na quinta (1º) por Steve Jobs, rodará no iPad, no iPhone e no iPod Touch e dará o poder de multiprocessamento aos portáteis da Apple assim que começar a ser disponibilizada para download em junho para os telefones e tocadores de música e em outubro para o tablet.

A função multitarefa habilita os aplicativos a ficarem abertos em segundo plano. Alguns, como tocadores de rádio online e programas como o Skype, terão força total ao ser executados. Outros só ficam em um estado de hibernação. Ao apertar duas vezes o botão “home” você visualiza os programas abertos e pode alternar entre eles.

Adaptação.

O sistema multitarefa e a possibilidade de alternar entre aplicativos abertos não são novidade. Estão nos smartphones mais básicos da Nokia. E agora estão cada vez mais essenciais em celulares avançados e em tablets. Imagine um computador em que você não pode abrir vários programas em janelas diferentes. Seria impossível fazer uma pesquisa na internet e copiar trechos importantes no Word ao mesmo tempo, por exemplo. É mais ou menos isso que acontece com o celular e com o tablet da Apple.

Telefones e portáteis dependem de uma bateria limitada e de um processador que, apesar de poderoso, pode não dar conta de acessar a internet, manter a rede de celular funcionando para receber ligações e ainda lidar c0m um monte de aplicativos abertos simultaneamente.

Fabricantes optam por não colocar a multitarefa para evitar consumo excessivo de bateria e de memória. Tanto que a Microsoft já afirmou que a próxima versão do Windows Phone 7 não será multitarefa inicialmente. O sistema começa a ser usado em celulares no fim do ano.

Publicidade

Nas versões anteriores do Windows Mobile, a multitarefa era mais um problema do que uma solução, exigindo que todo usuário tivesse um aplicativo para fechar na marra os programas que rodavam sem necessidade em segundo plano.

Em movimento

A atualização do iPhone OS para os portáteis da Apple revela um dos principais desafios em busca da mobilidade eletrônica. A computação como a conhecemos usa sistemas de processamento, de memória e de desenvolvimento de softwares que foram inicialmente imaginados para uma realidade diferente, quando o computador ficava estático em casa ou no trabalho. Só que a computação ficou móvel e se adapta às necessidades de hoje.

Quando a Apple apresentou o primeiro iPhone, deu a largada a esse cenário. Criou um celular que finalmente abandonou o estilo dos telefones sem fio convencionais que temos ou tínhamos em casa, com uma tela apenas cheia de ícones, fáceis de identificar e de tocar com os dedos. Teclas ficaram virtuais. E a internet seguiu o rumo e se adaptou também ao formato móvel do iPhone. As páginas HTML cederam espaço para aplicativos que acessam informações online

Leia também:

Sem teclado nem mouse

Quando a tecnologia vira sexto sentido

Publicidade

Os rumos do comando

Meio termo: mouse com supefície tátil

Controle na ponta dos dedos

Análise: iPad eleva nível da disputa

Análise: Um à frente, dois para trás

Reportagem publicada na versão impressa do caderno Link de 12/04/2010

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.