PUBLICIDADE

Quando a tecnologia vira sexto sentido

Por Rafael Cabral
Atualização:

Ainda no forno, algumas iniciativas querem não só substituir mouse e teclado, mas simplesmente acabar com a necessidade dos dois – e, de brinde, também das superfícies sensíveis ao toque. São interfaces comandadas apenas por gestos, sem a necessidade de um dispositivo físico. Diversos experimentos nesse sentido estão sendo conduzidos, mas os dois mais interessantes são o Sixth Sense, desenvolvido pelo indiano Pranav Mistry no MIT, e o Projeto Natal, prometido para o final do ano pela Microsoft.

 Foto:

PUBLICIDADE

Foto: Divulgação

Inicialmente uma resposta ao sucesso do Wii, a tecnologia que será acoplada ao Xbox 360, idealizada pelo brasileiro Alex Kipman, pode chegar a outros aparelhos e, se funcionar como promete, pode mudar a relação que temos com a computação. Já o “sexto sentido” criado pelo indiano Mistry é ainda mais surpreendente. Não há a necessidade nem sequer de uma TV ou computador para a interação. Ele usa câmeras e pequenos sensores manuais, podendo projetar as imagens digitais em qualquer superfície. E o melhor: custa só US$ 350. Leia também: Sem teclado nem mouse Os rumos do comando Meio termo: mouse com supefície tátil Mudança começou com celular Controle na ponta dos dedos Análise: Um à frente, dois para trás Análise: iPad eleva nível da disputa Reportagem publicada na versão impressa do caderno Link de 12/04/2010

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.