Merkel defende a implementação das novas sanções da UE contra Rússia

Para a chanceler alemã, as punições só devem ser suspensas em caso de "progresso substancial" de plano de paz

REUTERS

10 Setembro 2014 | 07h34

A União Europeia tem de ir em frente com o anúncio de novas sanções econômicas contra a Rússia, disse nesta quarta-feira a chanceler alemã, Angela Merkel, acrescentando que, de qualquer modo, elas poderão ser suspensas se houver progressos substanciais no sentido de um plano de paz para a Ucrânia.

"Em vista da situação atual, que, de fato, trouxe uma melhoria em relação às atividades militares - não é um cessar-fogo 100 por cento, mas é uma melhoria -, e a falta de clareza em muitos outros pontos que citei, somos a favor de que essas sanções sejam implementadas agora", declarou Merkel ao Parlamento alemão.

A chanceler acrescentou que a Alemanha seria "a primeira" a recomendar a suspensão das sanções se um plano de paz de 12 pontos para a Ucrânia for implementado.

A União Europeia aprovou novas sanções na segunda-feira, mas adiou sua implementação para avaliar o cessar-fogo. Embaixadores da UE reúnem nesta quarta-feira para discutir os próximos passos.

(Reportagem de Stephen Brown e Noah Barkin)

Mais conteúdo sobre:
ALEMANHARUSSIAUESANCOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.