Publicidade

Ele começou numa garagem com 1 saco de pancadas e hoje fatura R$ 113 mi com franquias de academia

Na década de 1970, Léo Aguiar fundou uma escola de karatê em São Paulo que virou a rede de academias Gaviões

PUBLICIDADE

Foto do author Victoria  Lacerda
Por Victoria Lacerda
Atualização:

Leonildo Aguiar, mais conhecido como Léo, começou sua jornada empreendedora aos 18 anos. Atualmente, aos 68, ele é o dono da rede de academias Gaviões. Inicialmente, a empresa surgiu como uma pequena escola de karatê em 1974, mas ao longo do tempo, transformou-se em uma academia grande no mercado fitness. Em 2023, o faturamento da empresa alcançou a marca de R$ 113 milhões, impulsionado pelo funcionamento das unidades 24 horas por dia.

PUBLICIDADE

A trajetória empreendedora de Léo teve início quando ele começou a dar aulas de karatê em uma garagem alugada em São Paulo. “Eu tinha o desejo de ser professor e dar aulas, então comecei em uma pequena garagem, muito simples e sem muita estrutura. Era tão pequena que mal tinha espaço, apenas o básico, sem luxo. Não havia equipamentos sofisticados, apenas um saco de pancadas. Era realmente muito simples”, explicou.

Com o passar do tempo, a Gaviões progrediu e ampliou sua oferta para incluir musculação, dança e ginástica, atraindo uma variedade de públicos. Foi durante essa evolução que o espaço destinado às lutas se transformou em uma academia. A primeira unidade em um prédio próprio foi estabelecida em 1990, situada na zona norte de São Paulo. Em 1997, eles expandiram para Guarulhos, ocupando um espaço que se tornaria a sede da empresa, com uma extensão de 5 mil metros quadrados.

Léo Aguiar, fundador da rede de academias Gaviões. Foto: Divulgação/Academia Gaviões

Atualmente, a Gaviões conta com 63 academias em funcionamento, sendo 11 próprias e as demais operando sob o modelo de franquias. Léo contou que a meta é alcançar 100 unidades até o final de 2024, aumentando o número de alunos de 120 mil para 200 mil.

Porém, a decisão de abrir franquias só foi tomada em 2019, diante da crescente concorrência no mercado fitness. No mesmo ano, foi inaugurada a primeira unidade franqueada da academia. No decorrer da pandemia de covid-19, em 2020, ele expandiu o negócio para além de São Paulo, abrindo a primeira unidade em Fortaleza (CE).

Agente penitenciário no Carandiru

Além de ser o dono da academia, Aguiar teve diversos empregos ao longo da vida. Durante nove anos, de 1982 a 1991, ele trabalhou como agente penitenciário, desempenhando diversas responsabilidades dentro do Complexo Penitenciário do Carandiru, em São Paulo. No entanto, ele optou por deixar esse cargo para se dedicar inteiramente ao seu empreendimento.

“Na época em que trabalhei como funcionário penitenciário, fiz questão de sempre tratar os detentos com respeito e humanidade. Isso fez toda a diferença na relação com eles, pois percebi que quando você trata as pessoas com educação, elas tendem a responder da mesma forma. Mantive a ordem no presídio de maneira educada, sem precisar recorrer à violência.”

Publicidade

Investimento na franquia

A Gaviões tem 63 academias, sendo 11 próprias e as demais operando sob o modelo de franquias. Foto: Divulgação/Academia Gaviões

O investimento inicial para se tornar um franqueado da Academia Gaviões começa a partir de R$ 100 mil. No entanto, é necessário adquirir os equipamentos, os quais podem ser financiados em até três anos.

Considerando tudo, o empreendedor estima que o investimento total inicial seja de cerca de R$ 2,5 milhões. A rede opera com unidades a partir de 900 metros quadrados.

“Investir em equipamentos de qualidade é crucial para garantir a satisfação dos alunos. Por isso, fiz questão de viajar para a Alemanha em busca dos melhores equipamentos disponíveis no mercado. Estou constantemente buscando inovações e trazendo o que há de melhor para nossas academias”, destacou.

Atualmente, a Gaviões está se preparando para se expandir internacionalmente, planejando a abertura das três primeiras unidades no Paraguai ainda este ano.

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

Confira o raio-x da empresa:

  • Investimento inicial: a partir de R$ 2 milhões (com equipamentos)
  • Faturamento médio mensal: R$ 458 mil
  • Lucro médio mensal: de 25% a 35%
  • Prazo de retorno: 18 a 26 meses
  • Prazo de contrato: 20 anos
  • Royalties/mês: 7%
  • Número de unidades em operação: 63 , com planos de chegar a 100 até o final de 2025. Em funcionamento, há unidades em São Paulo, Fortaleza (CE), Palmas (TO) e Joinville (SC).

Avaliações no Reclame Aqui e Google

No Reclame Aqui, a academia mantém alcança uma nota de 7,9 em 10. O principal problema relatado pelos clientes diz respeito ao cancelamento do serviço.

Nos últimos 12 meses, a empresa registrou 470 reclamações, as quais foram respondidas dentro de um prazo médio de 12 dias e 1 hora, e mais de 82% delas foram consideradas resolvidas pelos clientes.

Quando questionada sobre as reclamações, a academia afirmou estar sempre disponível para ouvir os alunos em todos os canais de comunicação, além de realizar uma pesquisa interna para calcular o Net Promoter Score (NPS) da empresa. O NPS é uma métrica utilizada para avaliar a satisfação e fidelidade dos clientes em relação a uma empresa ou organização.

“O tempo de resposta varia por conta do número de unidades, mas a empresa está sempre disponível para contato com os alunos da melhor maneira possível.”

No Google, a média de avaliação das academias da franquia é de 4,1 em 5. Até o momento desta publicação, aproximadamente 15 mil avaliações foram registradas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.