PUBLICIDADE

Alckmin diz que Bolsonaro garantiu transição em encontro de ‘improviso’

Vice-presidente eleito e coordenador da equipe de transição para o governo Lula diz que presidente Bolsonaro prometeu facilitar as conversas entre o atual e o próximo governo

PUBLICIDADE

Foto do author Lauriberto Pompeu
Foto do author André Borges
Por Lauriberto Pompeu e André Borges
Atualização:

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro (PL) cumprimentou nesta quinta-feira, 3, o vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB). Os dois se encontraram brevemente no terceiro andar do Palácio do Planalto, onde o presidente despacha, depois que Alckmin deu uma entrevista coletiva para a imprensa. O ex-tucano é o coordenador da equipe que vai fazer a transição para o governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Alckmin disse Bolsonaro garantiu que vai atuar para uma transição tranquila de governo. Alckmin afirmou que o encontro pessoal com o presidente não estava previsto e que ele já estava de saída do Palácio do Planalto, com o time de transição que o acompanha, quando foi chamado por Bolsonaro.

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin chega ao Palácio do Planalto em Brasilia-DF, para realizar a primeira reunião de transição de governo com o ministro chefe da casa civil, Ciro Nogueira (PP). Na foto, Aloizio Mercadante, Gleisi Hoffmann.  Foto: Wilton Junior / Estadão

PUBLICIDADE

“Foi positivo. O presidente nos convidou. Nós estávamos saindo de lá, ele chamou até o seu gabinete. Ele reiterou que vai prestar todas a informações”, disse Alckmin.

Segundo o vice-presidente eleito, Bolsonaro disse que vai atuar para que o processo transcorra tranquilamente. “Foi, em resumo, reiterar os compromissos em relação à transição, pautada na transparência.”

Bolsonaro passou a manhã no Palácio da Alvorada, que fica cerca de cinco quilômetros distante do Planalto, e onde funciona a residência do chefe do Poder Executivo. O presidente retornou ao Planalto quando Alckmin, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o ex-ministro Aloizio Mercadante, também da equipe de transição, falavam com a imprensa.

Bolsonaro já fez várias críticas ao processo eleitoral e acusou, sem provas, a Justiça Eleitoral de beneficiar Lula. Após a derrota do presidente, parte de seus apoiadores mais radicais promoveram bloqueios em rodovias em protesto a eleição do petista. Apesar disso, ele afirmou que vai cumprir a Constituição e autorizou seus ministros a auxiliarem o governo eleito. Alckmin, Gleisi e Mercadante fizeram nesta quinta a primeira reunião da equipe de transição. Pelo lado do governo de Bolsonaro estavam o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e o ministro da Secretaria Geral, general Luiz Eduardo Ramos.

Depois da ida ao Planalto, Alckmin, Gleisi e Mercadante foram para uma reunião com o presidente interino do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.