Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

MPF anuncia força-tarefa em parceria com CGU e AGU para criar protocolo sobre acordos de leniência

Iniciativa foi definida na audiência de conciliação, convocada pelo STF, para reabrir negociação entre órgãos públicos e empresas que fecharam acordos e agora pleiteiam repactuação de suas multas

PUBLICIDADE

Foto do author Rayssa Motta
Por Rayssa Motta

O Ministério Público Federal (MPF) anunciou nesta terça-feira, 27, que vai criar um protocolo para celebração dos acordos de leniência em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU) e a Advocacia-Geral da União (AGU).

PUBLICIDADE

Essa foi uma das iniciativas definidas ontem na audiência de conciliação mediada pelo ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou a renegociação de acordos já firmados.

O documento deve ser apresentado em até 60 dias. Em nota, o MPF informou que o objetivo é estabelecer diretrizes para um “atuação insterinstitucional comum, com regras uniformes” para a assinatura dos acordos de leniência.

Audiência de conciliação sobre acordos de leniência ocorreu nesta segunda, 26, no STF. Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

André Mendonça suspendeu, também por 60 dias, as leniências de todas as empresas que participaram da audiência. Ele justificou que o objetivo é “gerar um ambiente de boa-fé e mútua cooperação próprios ao ambiente de conciliação na seara judicial”. Nesse período, as empresas não poderão ser punidas caso deixem de cumprir com as obrigações previstas nos acordos.

O ministro fez questão de destacar, no entanto, que a suspensão não deve ser interpretada como antecipação de um posicionamento sobre a validade ou não das leniências.

Publicidade

Segundo o MPF, os acordos só poderão ser revistos se forem identificadas “discrepâncias entre os termos pactuados e o protocolo estabelecido pelas instituições”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.